Paddy Cosgrave: “O mundo tem de saber que há muito Portugal para além de Lisboa”

Web Summit vai acontecer, por todo o país, em "palcos" que funcionarão em simultâneo. Objetivo é dar a conhecer melhor o país, explica o CEO do evento.

Paddy Cosgrave vê a edição online e offline do Web Summit, anunciada esta quarta-feira, como uma oportunidade para dar a conhecer melhor Portugal além de Lisboa. Numa conferência de imprensa online, a partir da plataforma criada pela empresa para levar a cabo o Collision from home — que deveria decorrer, nesta altura, no Canadá –, o CEO da maior conferência de tecnologia e empreendedorismo do mundo referiu que a edição deste ano contará com um palco dedicado a Portugal e ao ecossistema empreendedor nacional e sublinhou que o evento decorrerá, em simultâneo, de várias partes do país.

Não queremos só criar um estúdio em Lisboa, mas ir ao Porto, Coimbra, Faro, e fazer algo em simultâneo. O mundo tem de saber que há muito Portugal para além de Lisboa e, por isso, estamos a pensar em como fazê-lo”, assinalou o irlandês, sublinhando que “quaisquer que sejam as limitações, quero que a edição deste ano possa andar por Portugal. Em dezembro, será incrível que o mundo veja e possa conhecer um pouco mais de todo o país”.

A organização do Web Summit anunciou esta manhã, em comunicado, que o evento vai realizar-se este ano numa versão offline, a partir de Portugal, e online. A empresa dona do Web Summit anunciou ainda o adiamento da conferência de novembro para 2 a 4 de dezembro.

Quanto ao número de pessoas esperadas em Lisboa, Paddy Cosgrave assinalou que, apenas em outubro poderá ser estimada a lotação “recomendada pelas autoridades de saúde” e que “pode mudar todas as semanas” até ao evento.

Online, o novo modelo

Desde terça-feira que a equipa do Web Summit tem levado a cabo a sua primeira conferência online, o Collision from home, que deveria decorrer a partir de Toronto, no Canadá. A organização das conferências construiu, nas últimas oito semanas, o software que permite a transmissão online do evento, numa lógica de dois ecrãs: smartphone (app) e desktop (plataforma de streaming, onde também decorreu esta conferência de imprensa).

“O nosso maior desafio é que no nosso caso, os nossos assistentes sublinham sempre a oportunidade de as pessoas se poderem encontrar. Perguntámo-nos como poderíamos replicar parte dessa magia offline num ambiente online. Este (Collision) é o nosso demo day de uma plataforma online para eventos”, afirmou o irlandês. “Esperamos que esta plataforma que começámos agora possa ser usada por alguns dos nossos parceiros, instituições e ONG’s por todo o mundo”, afirmou ainda.

De acordo com Paddy Cosgrave, uma das novidades trazidas pela edição do Collision from home passam por uma alteração no perfil dos assistentes, sobretudo pela menor necessidade de investimento. “O padrão de participação é diferente, uma vez que não exige deslocações geográficas nem gastos com hospedagem”, assinalou o CEO do Web Summit. Outra “surpresa” foi o uso dos vídeos one to one, através da plataforma online. Para Paddy Cosgrave, “o futuro das conferências é híbrido”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Paddy Cosgrave: “O mundo tem de saber que há muito Portugal para além de Lisboa”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião