Startup Lisboa procura “empreendedor do ano” para prémio João Vasconcelos. Aceita candidatos de todo o país

Incubadora lança candidaturas para a 2.ª edição do prémio João Vasconcelos, uma homenagem ao seu primeiro diretor. No ano passado, a vencedora foi Daniela Braga, CEO e fundadora da DefinedCrowd.

Daniela Braga, CEO e cofundadora da DefinedCrowd, venceu o Prémio João Vasconcelos para empreendedor do ano 2019.D.R.

A Startup Lisboa lançou esta quinta-feira as candidaturas para a segunda edição do Prémio João Vasconcelos – Empreendedor do ano. Este ano, pela primeira vez, aceita candidatos de todo o país.

O alargamento do âmbito do prémio é a novidade deste ano: os candidatos ao prémio, uma homenagem a João Vasconcelos — primeiro diretor executivo da incubadora — podem ser empreendedores portugueses ou estrangeiros que tenham atividade em Portugal.

“Acreditamos que ao abrir esta distinção a empreendedores em todo o país, ganhamos a oportunidade de descentralizar o prémio e ele sai seguramente mais valorizado”, explica Miguel Fontes, diretor executivo da Startup Lisboa.

Na primeira edição, no ano passado, o Prémio João Vasconcelos – Empreendedor do ano foi atribuído a Daniela Braga, CEO e fundadora da DefinedCrowd.

À edição deste ano podem candidatar-se “empreendedores ou equipas de empreendedores que tenham fundado uma startup em Portugal há menos de cinco anos e cujo negócio seja inovador, incorpore tecnologia e seja escalável”, explica a incubadora em comunicado.

As candidaturas estão abertas até 30 de agosto e podem ser feitas no site da Startup Lisboa. A avaliação dos candidatos é feita com base em critérios como a visão e estratégia, resiliência, contributo para o ecossistema empreendedor nacional, liderança e gestão de equipa, crescimento e penetração internacional. O prémio é de 10 mil euros e será entregue a 25 de setembro, data do Demo Day da Startup Lisboa e o dia em que João Vasconcelos comemoraria o seu aniversário.

Criado em 2019, o prémio conta, nesta edição, com o apoio financeiro dos fundadores da Startup Lisboa: a Câmara Municipal de Lisboa, o IAPMEI e o banco Montepio.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Startup Lisboa procura “empreendedor do ano” para prémio João Vasconcelos. Aceita candidatos de todo o país

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião