Hoje nas notícias: obras públicas, Novo Banco e aumentos

  • ECO
  • 6 Julho 2020

Dos jornais aos sites, passando pelas rádios e televisões, leia as notícias que vão marcar o dia.

Apenas cerca de 30% das obras públicas lançadas no último ano e meio foram asseguradas por empresas portuguesas. O Fundo de Resolução impediu 23 operações do Novo Banco, desde que este foi vendido ao fundo Lone Star. Antes da pandemia, a negociação coletiva ainda deu origem a aumentos de 2,7%. Veja estas e outras notícias que marcam as manchetes nacionais.

Empresas espanholas asseguraram 70% do mercado das obras públicas em Portugal

No último ano e meio, as empresas portuguesas asseguraram pouco mais de 30% das obras públicas lançadas, de acordo com uma análise ao Portal Base, às obras públicas acima de sete milhões de euros. No total, foram adjudicados 1.431 milhões de euros, sendo que apenas 444,8 milhões foram para empresas nacionais. Esta terça-feira, o Parlamento vai discutir alterações ao código dos contratos públicos por proposta do Governo.

Leia a notícia completa no Público (acesso condicionado)

Fundo travou Novo Banco apenas em 23 operações

O Fundo de Resolução travou 23 negócios do Novo Banco, desde que foi criada a almofada para cobrir as perdas relacionadas com os ativos tóxicos do antigo Banco Espírito Santo, de um total de 194 operações de alienação de ativos, de créditos e imóveis. Destes negócios, 83 operações não motivaram notas do Fundo de Resolução, em 58 o fundo não se opôs, mas colocou alguns requisitos, e em 25 propôs recomendações. O Novo Banco tem de comunicar ao Fundo todas as operações relativas aos ativos abrangidos pelo mecanismo de capital contingente.

Leia a notícia completa no Correio da Manhã (acesso pago)

Negociação coletiva deu aumentos de 2,7% antes da pandemia

A negociação salarial na contratação coletiva garantiu subidas nas remunerações a mais de 116 mi trabalhadores no primeiro trimestre deste ano, naquele que é o maior impacto dos últimos anos. O número de pessoas abrangidas por alterações de salário de início de ano não era tão elevado desde 2015, sendo que as convenções publicadas até março permitiram um aumento médio de 2,7%.

Leia a notícia completa no Diário de Notícias (acesso pago).

Avaliação do património rústico já está em curso

Já está a avançar o processo para a avaliação do património rústico, sendo que a Autoridade Tributária e Instituto Superior de Agronomia estão a desenvolver o modelo de avaliação destes prédios, tendo já concluído a primeira fase. O objetivo desta medida é ordenar o território através da política fiscal.

Ler notícia completa no Jornal de Negócios (link indisponível)

Jorge Roque da Cunha denuncia “perseguição aos médicos do Alentejo”

O presidente do Sindicato Independente dos Médicos lança críticas à forma como os profissionais de saúde do Alentejo estão a ser tratados. Jorge Roque da Cunha fala em “perseguição”, referindo-se nomeadamente ao facto de a ARS ter proibido as férias a todos os médicos, enfermeiros e prestadores de saúde do distrito de Évora até 10 de julho.

Leia a notícia completa no jornal i (link indisponível)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Hoje nas notícias: obras públicas, Novo Banco e aumentos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião