Fundo de Resolução travou Novo Banco apenas em 23 operações

  • ECO
  • 6 Julho 2020

De um total de 194 operações de alienação de ativos, 83 negócios não motivaram notas do Fundo de Resolução.

O Fundo de Resolução travou apenas 23 negócios do Novo Banco, desde que foi criada a almofada para cobrir as perdas relacionadas com os ativos tóxicos do antigo Banco Espírito Santo, de um total de 194 operações de alienação de ativos, de créditos e imóveis, avança o Correio da Manhã (acesso pago).

Destes negócios, 83 operações não motivaram notas do Fundo de Resolução, em 58 o fundo não se opôs, mas colocou alguns requisitos, e em 25 propôs recomendações, de acordo com o Relatório e Contas do fundo. O Novo Banco tem de comunicar ao Fundo todas as operações relativas aos ativos abrangidos pelo mecanismo de capital contingente.

Em 2019, 13% das operações “justificaram que o Fundo de Resolução se opusesse à ação proposta pelo Novo Banco”, refere a entidade, no relatório. Por outro lado, cerca de metade do total das operações do ano passado “motivaram a comunicação ao Novo Banco de recomendações ou de condições à sua execução”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Fundo de Resolução travou Novo Banco apenas em 23 operações

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião