80% da produção da EDP no semestre foi energia renovável

  • Lusa
  • 10 Julho 2020

Mais de metade da energia produzida pela EDP no primeiro semestre é "limpa", tendo origem em fontes renováveis, revelou a elétrica. Capacidade instalada total é de 26,8 GW.

A capacidade instalada da EDP atingiu os 26,8 gigawatts (GW) no primeiro semestre, 74% dos quais a partir de fontes renováveis, segundo os dados operacionais previsionais da elétrica divulgados esta sexta-feira ao mercado.

“A capacidade instalada alcançou os 26,8 GW dos quais 74% a partir de fontes renováveis. Isto reflete os 847 MW [megawatts] de capacidade eólica instalada nos últimos 12 meses, em paralelo com a execução da nossa estratégia de redução de ativos que levou à desconsolidação de 1,3 GW de capacidade eólica”, lê-se na informação remetida à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

De acordo com os dados avançados pela empresa agora liderada por Miguel Stilwell de Andrade, no final de junho, a capacidade eólica e solar em fase construção totalizava dois GW, o dobro do valor registado em março.

Nos primeiros seis meses do ano, as energias renováveis representaram 80% da eletricidade produzida, com a produção hídrica “em linha com a média histórica e a produção eólica 9% abaixo dos volumes médios esperados”.

Conforme indicou a empresa, no segundo trimestre, as centrais a carvão mantiveram-se paradas, sem produção de eletricidade, à exceção da central de Aboño, em Espanha, “suportada pelo seu modelo de economia circular com queima de gases siderúrgicos”.

Entre janeiro e junho, a eletricidade distribuída cedeu 5% em Portugal e 10% em Espanha, impactada pela quebra de consumo “de um grande cliente industrial no primeiro trimestre”, enquanto no Brasil perdeu 8%, mas o impacto desta perda nos resultados deve ser mitigado pela conta Covid.

Já a eletricidade vendida contraiu 5% em Portugal e 11% em Espanha, no período em causa, o que reflete o maior peso dos clientes empresariais em Espanha e residenciais em Portugal, apontou a elétrica. Na bolsa, as ações da EDP subiram 1,14%, para 4,54 euros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

80% da produção da EDP no semestre foi energia renovável

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião