Altice quer revisão do caderno de encargos do 5G. “Mundo mudou” com a pandemia

A Anacom retomou o processo do 5G, mas fê-lo nas mesmas condições que estavam em cima da mesa antes da pandemia. É algo que "tem de mudar", avisou Alexandre Fonseca, líder da Altice Portugal.

O presidente executivo da Altice Portugal, Alexandre Fonseca, considera que o caderno de encargos do 5G deve ser revisto pela Anacom, uma vez que “o mundo mudou” por causa da pandemia. Fonseca falou aos jornalistas à margem da apresentação do novo tarifário Meo Energia.

“Este processo de consulta que foi retomado é exatamente o mesmo que tinha sido lançado antes da pandemia. Todos os líderes políticos e económicos a nível mundial dizem que o mundo mudou. O único responsável que pelos vistos acha que o mundo não mudou é o presidente da Anacom”, criticou o gestor.

Em causa está o projeto de regulamento do leilão de frequências para a quinta geração de rede de comunicações, através do qual o Estado poderá encaixar quase 238 milhões de euros, um valor substancialmente acima do que as operadoras estarão dispostas a pagar. “Entendemos que não pode ser assim”, disse Alexandre Fonseca, referindo-se ao facto de a consulta pública entretanto retomada e já finalizada ser a mesma que estava em cima da mesa antes da Covid-19.

Tem de mudar, porque aquilo que são hoje as prioridades estratégicas dos Estados e da economia não são necessariamente as mesmas. Vejamos os investimentos na área da saúde, na área da educação, da intervenção social e na proteção das pessoas. São hoje prioridades dos Estados que não eram há quatro ou cinco meses atrás”, indicou.

4G é suficiente e responde às necessidades

Outra crítica de Alexandre Fonseca foi direcionada ao plano do Governo para o 5G. Um plano que, apesar de a Altice Portugal “concordar” com o mesmo, inclui objetivos de cobertura acima do necessário, garantiu o gestor.

“Há quatro meses dizíamos que achávamos que essas coberturas eram demasiadas. Mas achávamos. Passada a pandemia [pico], verificamos que são demasiadas. Assistimos a crescimentos de tráfego que variaram entre 30% na rede móvel, até aos 100% na televisão, passando por 60% na rede fixa. E passamos por esta fase em Portugal sem qualquer tipo de impacto. Absorvemos estes crescimentos de utilização e a rede de fibra e a rede de 4G da Altice Portugal — e as da generalidade dos outros operadores — passaram incólumes”, sublinhou.

“Significa que as redes que existem hoje para os portugueses são mais do que suficientes para aquilo que é o plano de transição digital definido pelo Governo”, rematou o líder da dona da Meo.

Esta semana, a Anacom revelou o novo calendário do 5G, esperando arrancar com o leilão em outubro, concluir o mesmo em dezembro e finalizar a atribuição dos direitos em janeiro ou fevereiro de 2021. Para Alexandre Fonseca, significa que as primeiras ofertas comerciais de quinta geração só serão disponibilizadas, eventualmente, no primeiro trimestre de 2021.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Altice quer revisão do caderno de encargos do 5G. “Mundo mudou” com a pandemia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião