Nuno Santos é o novo diretor geral da TVI

Nuno Santos assume funções de imediato, depois de ser nomeado pelo Conselho de Administração da Media Capital. Esta mudança acontece cerca de seis meses depois de entrar no grupo.

Nuno Santos é o novo diretor geral da TVI, depois de ser nomeado pelo Conselho de Administração da Media Capital. Irá assumir funções de imediato, adianta o Conselho, em comunicado. O profissional sobe a este cargo cerca de seis meses depois de ter sido escolhido para diretor de programas do canal, substituindo Felipa Garnel.

Esta escolha “inscreve-se na transformação da Companhia que vem tendo lugar e numa visão integrada da atividade da TVI, com o objetivo de colocar o canal e toda a plataforma de conteúdos numa posição de ainda maior destaque no mercado dos media em Portugal”, diz o Conselho, citado em comunicado.

A nomeação de Nuno Santos, de resto, já tinha sido avançada em primeira mão no ECO Insider, a newsletter exclusiva para assinantes, enviada à sexta-feira.

Os últimos dias têm sido de mudanças para a estação de Queluz de Baixo. Na semana passada foi anunciado que Sérgio Figueiredo deixaria o cargo de diretor de informação da TVI, posição que é assumida interinamente por Pedro Pinto. Já esta quinta-feira soube-se que Luís Cabral apresentou renúncia ao cargo de CEO da Media Capital, dona da TVI. Para o substituir foi apontado Manuel Alves Monteiro, até agora administrador não executivo.

O Conselho de Administração adianta que a nova estrutura da TVI “será anunciada brevemente”. Nuno Santos aponta que conta “com todos para esta mudança exigente, sustentada numa organização moderna, ágil e focada no futuro”, citado também em comunicado. O profissional dirigiu a programação dos três principais canais e a Informação da RTP.

(Notícia atualizada às 18h25)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Nuno Santos é o novo diretor geral da TVI

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião