LinkedIn vai cortar 960 postos de trabalho devido ao Covid-19

  • ECO
  • 21 Julho 2020

A rede profissional vai cortar quase mil postos de trabalho, que correspondem a 6% dos colaboradores a nível mundial, devido aos impactos da pandemia, avançou o chefe executivo do LinkedIn.

O LinkedIn anunciou que vai cortar cerca de 960 empregos, o que corresponde a 6% da sua força de trabalho global, devido aos impactos da pandemia.

“Quero que saibam que estes são os únicos despedimentos que estamos a planear”, disse o chefe executivo, Ryan Roslansky, numa mensagem publicada no website do LinkedIn, avançou a Reuters (acesso livre).

A empresa, com sede na Califórnia, disse que os empregados afetados por estes cortes serão informados ainda esta semana de forma a saberem quais são os próximos passos.

O chefe executivo, Ryan Roslansky, já adiantou que o LinkedIn vai oferecer pelo menos dez semanas de indemnização por despedimento, assim como um seguro de saúde durante um ano para os empregados americanos.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

LinkedIn vai cortar 960 postos de trabalho devido ao Covid-19

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião