F1 regressa a Portugal. Portimão recebe prova a 25 de outubro

É oficial. Portugal vai receber a Fórmula 1 de 23 a 25 de outubro. Prova vai realizar-se no Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão.

Depois de muita espera, a Fórmula 1 revelou que a prova rainha do desporto automóvel vai mesmo passar por Portugal, nomeadamente pelo Autódromo de Portimão. Evento vai ter lugar entre 23 e 25 de outubro, contando com público nas bancadas.

O Grande Prémio irá regressar a Portugal pela primeira vez desde 1996 depois de a Fórmula 1 ter adicionado as corridas em Portimão, bem como aos circuitos de Imola (Itália) e Nurburgring (Alemanha) ao calendário de 2020″, refere o site oficial da prova.

O Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão, “será palco do Grande Prémio de Portugal — a sua primeira corrida de F1 de sempre — entre 23 e 25 de outubro, duas semanas depois do Grande Prémio de Eifel, em Nurburgring”.

“Estamos muito felizes por continuarmos a fazer fortes progressos na conclusão dos nosso planos para a temporada de 2020 e entusiasmados por darmos as boas-vindas a Nurburgring, Portimão e Imola ao calendário revisto” das provas, disse Chase Carey, chairman e CEO da Formula 1.

Ni Amorim, presidente da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting, diz que a prova portuguesa contará com público nas bancadas, ao contrário do que vai acontecer com a fase final da Liga dos Campeões, que se realizará em agosto. “Vamos ter uma prova uma público, a menos que haja uma catástrofe”, disse, citado pela Tribuna Expresso.

A organização está a trabalhar com “vários cenários, com diferentes cargas de público”, disse a secretária de Estado do Turismo, Rita Marques. Ou seja, mediante a evolução da pandemia no país, poderá haver maiores ou menos restrições para assistir ao vivo à prova. Mesmo que haja poucos lugares, a corrida será transmitida em direto pela Eleven Sports.

Um regresso… 24 anos depois

A prova portuguesa decorre depois do Grande Prémio realizados na Alemanha e antes do de Itália, sendo que esta vaga surge num ano marcado por uma série de cancelamentos por causa da pandemia de Covid-19.

Ao todo, já foram canceladas ou adiadas 13 das 22 corridas da temporada, mas os responsáveis do campeonato esperam ter um calendário com 15 a 18 corridas até ao fim deste ano. Foram estes cancelamentos que abriram a porta à utilização de novos circuitos na segunda metade da temporada do Mundial de Fórmula 1, como o de Portimão.

A última prova de Fórmula 1 realizada em Portugal foi há 24 anos. Foi em 1996, no Estoril, a última vez que se ouviram os monolugares em território nacional, num Grande Prémio que contou com nomes históricos da modalidade.

O canadiano Jacques Villeneuve (Williams) foi o último vencedor da prova, deixando o seu companheiro de equipa, o britânico Damon Hill, na segunda posição. O alemão Michael Schumacher, em Benetton, completou o pódio, mas viria a perder o título nesse ano para Hill.

(Notícia atualizada às 15h24 com mais informação)

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

F1 regressa a Portugal. Portimão recebe prova a 25 de outubro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião