Hotéis de Espanha querem pagar testes à Covid-19 aos turistas

A Confederação Espanhola de Hotéis e Alojamentos Turísticos disponibilizou-se para pagar testes à Covid-19 aos turistas estrangeiros, numa tentativa de atrair visitantes para o país.

A Confederação Espanhola de Hotéis e Alojamentos Turísticos (CEHAT) ofereceu-se para pagar testes de despiste à Covid-19 aos turistas estrangeiros, com o intuito de relançar o turismo e à medida que os novos casos de infeção em Espanha voltam a registar subidas expressivas.

O anúncio foi feito esta segunda-feira, depois de o Governo britânico ter excluído Espanha da lista de países considerados seguros para viajar. Quer isto dizer que, tal como acontece com Portugal, os britânicos que viajem para Espanha terão de cumprir uma quarentena de 14 dias no regresso a Inglaterra.

Apesar de a associação considerar esta decisão não só “injusta”, mas também “irracional e sem rigor”, a CEHAT acredita que a realização de testes aos visitantes será a melhor forma de garantir a segurança dos turistas, residentes e funcionários. “Estamos preparados para arcar com esse custo”, disse Jorge Marichal, presidente da CEHAT, citado pela Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês).

Segundo a Reuters, no ano passado, os britânicos representaram um quinto do fluxo de turistas estrangeiros em Espanha, mas face ao crescente número de casos de Covid-19 no país, o Reino Unido decidiu excluir o país vizinho dos corredores aéreos. Nesse sentido, e apesar das restrições, o Governo britânico está em contactos com as autoridades espanholas sobre a possibilidade de abrir corredores aéreos com as Ilhas Baleares e Canárias.

Até ao momento, Espanha contabilizou 278.782 casos de infeção por Covid-19, sendo que já morreram mais de 28 mil pessoas no país, segundo os dados atualizados esta segunda-feira pelo Ministério de Saúde espanhol, citados pela Lusa. O Executivo espanhol realçou que o número nacional de novas infeções — 855 nas últimas 24 horas — representa um decréscimo face aos dados da passada sexta-feira, dia em que foram divulgados 922 novos casos da doença.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Hotéis de Espanha querem pagar testes à Covid-19 aos turistas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião