5G: Até agora “não há decisão de exclusão” da Huawei pela UE ou Portugal, diz Altice

  • Lusa
  • 31 Julho 2020

A Altice Portugal diz que "no atual momento, não há qualquer decisão de exclusão de fornecedores ou prestadores de serviço", como a Huawei, por parte da UE ou de Portugal.

A Altice Portugal considera que “no atual momento, não há qualquer decisão de exclusão de fornecedores ou prestadores de serviço”, como a Huawei, por parte das instâncias europeias ou nacionais, disse esta sexta-feira à Lusa fonte oficial da empresa.

Questionada pela Lusa sobre a Huawei, fonte oficial da dona da Meo afirmou que “a Altice Portugal, enquanto líder de mercado, nada discrimina, atenta a que praticamente todas as empresas que operam são clientes ou fornecedoras [da operadora], pelo que daqui se retira o bom funcionamento e relacionamento tido com este setor”.

Nesse sentido, “reiteramos o que temos vindo a dizer sobre esta matéria e consideramos que, no atual momento, não há qualquer decisão de exclusão de fornecedores ou de prestadores de serviço por parte das instâncias europeias ou nacionais”.

“No atual momento, o processo do 5G em Portugal ainda não está totalmente definido havendo um conjunto de decisões relevantes a ser tomadas pelas entidades competentes, pelo que devemos aguardar por estas para posteriormente nos pronunciarmos“, concluiu a mesma fonte.

A Huawei tem estado no centro de uma ‘guerra’ entre os Estados Unidos e a China, com Washington a acusar a tecnológica de espionagem, o que tem sido refutado pela fabricante chinesa.

As sanções dos Estados Unidos contra a empresa e a campanha internacional lançada por Washington, tentando convencer os seus aliados a excluírem a Huawei das redes de quinta geração (5G), pesaram nas suas vendas no exterior, que caíram 27%, entre abril e junho.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

5G: Até agora “não há decisão de exclusão” da Huawei pela UE ou Portugal, diz Altice

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião