Lucros do BPI caem 68% com provisões para a pandemia

Banco fechou os primeiros seis meses com resultados líquidos de 42,6 milhões de euros, uma quebra expressiva face ao mesmo período do ano passado em resultado das provisões para a pandemia.

O BPI fechou os primeiros seis meses com resultados líquidos de 42,6 milhões de euros, uma quebra expressiva de 68% face ao mesmo período do ano passado em resultado das provisões realizadas por causa da pandemia. O contributo das participações no BFA e BCI foi de 36,1 milhões no primeiro semestre de 2020.

Em comunicado enviado à CMVM, o banco revela que “constituiu 83 milhões de euros de imparidades de crédito líquidas no primeiro semestre 2020, incluindo com caráter preventivo imparidades não alocadas decorrentes da revisão do cenário macroeconómico no contexto Covid-19″. Estas imparidades “explicam a redução do resultado líquido na atividade em Portugal para 6,5 milhões“.

O banco nota que apesar do contexto “conseguiu manter o dinamismo comercial”. Manteve-se “completamente operacional ao longo do período de confinamento, crescendo nos depósitos e no crédito e com ganhos de quota de mercado”, acrescenta. Os depósitos de clientes aumentaram 1.877 milhões de euros (mais 8,7%), enquanto a carteira de crédito registou um crescimento de 5,6%.

No crédito, o BPI salienta que a contratação de crédito a empresas (novo crédito e operações renovadas) subiu 14% face ao mesmo período do ano passado, enquanto no caso dos particulares o destaque foi para o financiamento para a compra de casa. O crédito hipotecário cresceu “54% para 809 milhões de euros no primeiro semestre de 2020”, permitindo ao BPI atingir “a maior quota de mercado de crédito hipotecário em carteira dos últimos 10 anos”.

BPI já aprovou 73 mil moratórias

No contexto de pandemia, e tendo o Governo avançado com moratórias no crédito, a que se juntaram facilidades idênticas proporcionadas pela banca, com o objetivo de aliviar o esforço das famílias em período de crise, o BPI revela que concedeu um total de 73 mil destas moratórias.

O banco revela que conta com “73,1 mil pedidos aprovados de moratórias de créditos de 5,7 mil milhões de euros”. E detalha que no crédito habitação foram 31,5 mil pedidos aprovados de 2,6 mil milhões, no crédito pessoal e financiamento automóvel foram 23,8 mil pedidos aprovados de 373 milhões, enquanto no caso do crédito a empresas registaram-se 17,9 mil pedidos aprovados, ascendendo a 2,7 mil milhões de euros.

No caso das linhas de crédito para as empresas, o BPI contabilizou “mais de 4 mil candidaturas às linhas de crédito de apoio público Covid-19 correspondentes a 549 milhões de euros“, salientando que existem três mil milhões de euros em linhas de crédito BPI Empresas disponíveis para utilização imediata no final de junho de 2020.

(Notícia atualizada às 11h25 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lucros do BPI caem 68% com provisões para a pandemia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião