Banca é o setor que mais aposta na inovação para ultrapassar a crise, revela estudo

As empresas consideram que a agilidade e a inovação tecnológicas são a solução para liderar no futuro e o setor da banca destaca-se: 88% das empresas neste setor vão lançar apps novas ainda este ano.

A pandemia do novo coronavírus acelerou a transformação digital e as empresas estão a apostar na agilidade e na transformação tecnológica para ultrapassar a crise económica causada pela Covid-19.

A nível global, as empresas consideram que a agilidade e a capacidade de inovação serão os fatores-chave para a liderança em tempos de incerteza. Mais de seis em cada dez empresas têm apps em desenvolvimento e, para isso, têm apostado na contratação de mais programadores. Para a maioria, a cloud e o low-code serão as tecnologias do futuro, revela o relatório The Speed of Change, realizado pela OutSystems entre fevereiro e março deste ano para avaliar o estado do desenvolvimento tecnológico de 2.200 empresas em todo o mundo.

Inovação e tecnologia para garantir sobrevivência

No sul da Europa (França, Itália, Espanha e Portugal), o relatório demonstra que 35% das empresas inquiridas temem uma recessão económica, sendo que 23% indica que as melhorias na agilidade e na aceleração da inovação são a melhor forma de se diferenciarem no mercado e sobreviverem.

Esta crença tem tido reflexo na contratação de mais profissionais de áreas tecnológicas, apesar de ser uma área onde é difícil atrair talento: 40% das empresas aumentaram as suas equipas de programadores para o desenvolvimento de aplicações no último ano, mas apenas 15% diz ser fácil recrutar este tipo de profissionais.

“Os resultados foram particularmente curiosos uma vez que as empresas responderam numa altura em que se encontravam perante enormes desafios como o do confinamento, do trabalho remoto, da luta pela manutenção do negócio, da disrupção na tesouraria e ainda de uma queda global do mercado superior a 25%. Mais uma vez, a tecnologia é vista como a boia de salvação, não apenas porque permitiu que as empresas navegassem nesta tempestade, como lhes vai permitir agilizar todos os seus processos e inovar para se adaptarem ao novo normal”, sublinha Mike Hughes, diretor de product marketing da OutSystems, citado em comunicado.

Banca é o setor que mais inova

O relatório destaca que a confiança das empresas foi a principal afetada, levantando sérias dúvidas sobre o “novo normal”. No entanto, os principais eixos de sobrevivência passam por melhorias na agilidade das empresas, assim como pela inovação como fator de diferenciação.

Impulsionadas por estes dois eixos, 65% das empresas têm 10 ou mais aplicações em desenvolvimento e planeadas para 2020, e 29% têm mais de 25 apps planeadas também para este ano. Mas é na banca que se verifica um maior esforço de inovação, com 88% das empresas a terem mais do que 10 apps planeadas para entrega em 2020.

Cerca de 61% das empresas inquiridas indicam a tecnologia cloud e 44% a tecnologia low-code, como aquelas que lhes permitirá liderar no processo de mudança. O relatório revela ainda que as empresas consideram que a “velocidade” será o grande foco no futuro, para se dedicarem às necessidades dos clientes e ao desenvolvimento rápido para a inovação.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Banca é o setor que mais aposta na inovação para ultrapassar a crise, revela estudo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião