Do Parlamento para Aveiro. Catarina Martins vai de férias

A líder do Bloco de Esquerda vai manter-se alerta sobre a atualidade política, mas rumará na primeira quinzena de agosto a Aveiro para as habituais férias em famílias no norte de Portugal.

Após intensos meses de trabalho político por causa da pandemia, incluindo as negociações para o Orçamento Suplementar, a líder do Bloco de Esquerda irá descansar antes do próximo desafio: as negociações do Orçamento do Estado para 2021 e a possibilidade de haver um acordo formal à esquerda para garantir a estabilidade governativa, como desafiou António Costa no debate sobre o Estado da Nação.

Para já, o rumo de Catarina Martins é para o litoral norte de Portugal onde passará quinze dias de férias. “As férias da Catarina Martins serão na primeira quinzena de agosto“, esclarece fonte oficial do Bloco de Esquerda em declarações ao ECO, no âmbito da rubrica “Eles vão de férias para…”, à semelhança dos restantes políticos que também vão optar pelo início de agosto para gozar as férias.

Como é habitual, o local escolhido é o distrito de Aveiro, onde tem família, mas a assessoria bloquista ressalva que o gozo das férias poderá depender do que acontecer a nível político durante esse período: “Se os acontecimentos políticos o permitirem (estará sempre informada, e portanto a par dos principais assuntos da política e nomeadamente da evolução da situação pandémica) serão 15 dias com a família a Norte (litoral), no distrito de Aveiro, local onde habitualmente passa férias”.

No ano passado, a líder do BE também esteve de férias no início de agosto, mas intercalou-as com várias iniciativas partidárias, seja o acampamento de jovens do BE, seja uma visita ao Centro de Reabilitação Rovisco Pais, sobre o PREVPAV, onde acabou por falar do então assunto do momento, a greve dos motoristas de matérias perigosas. Essa maior atividade política deveu-se principalmente às eleições legislativas que se aproximavam.

Certo é que este ano Catarina Martins “irá considerar, naturalmente, todas as indicações determinadas pela DGS para a época balnear”, garante fonte oficial do Bloco de Esquerda. No início de setembro, logo no início do mês, são retomados os trabalhos na Assembleia da República.

“Eles vão de férias para…” é uma rubrica de verão em que o ECO lançou o desafio a governantes, gestores e empresários para partilharem com os nossos leitores onde vão, ou foram, neste período de descanso. É publicada diariamente.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Do Parlamento para Aveiro. Catarina Martins vai de férias

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião