Editoras preocupadas com prazo apertado para distribuir manuais escolares

  • ECO
  • 3 Agosto 2020

Os alunos não vão ter de devolver os manuais escolares este ano. As editoras e livreiros terão assim de assegurar a impressão e distribuição de novos livros para as escolas.

Os alunos da escolaridade obrigatória não terão de devolver os manuais escolares este ano, sendo que os vouchers para levantamento dos novos manuais serão emitidos a partir desta segunda-feira. No entanto, editoras e livreiros levantam preocupações relativamente ao prazo para a distribuição dos livros, adianta o Diário de Notícias (acesso pago).

A Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL) argumenta que as editoras terão de fazer “em pouco mais de um mês algo que, por regra, exige pelo menos quatro a cinco meses de trabalho”. A medida originou numa proposta do CDS para que os alunos não tivessem de devolver os manuais, de forma a recuperar a aprendizagem, que foi aprovada no Parlamento em julho.

Em fevereiro tinha já sido decidido que tal ia acontecer para o 1º ciclo, mas este alargamento aos restantes anos veio dificultar o trabalho de editoras e livreiros, que ficaram com “um tempo curtíssimo para todo o trabalho relativo à impressão e distribuição”, salienta a APEL, “a começar pela compra urgente de matéria-prima para o efeito”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Editoras preocupadas com prazo apertado para distribuir manuais escolares

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião