BI4ALL fatura 16 milhões de euros em 2019. Quer crescer 25% este ano e recrutar mais colaboradores

Tecnológica portuguesa atingiu, no ano passado, um volume de negócios recorde de 16 milhões, um crescimento de 4,4 milhões face a 2018. Este ano, quer crescer 25% e contratar 100 novos colaboradores.

A BI4ALL, empresa portuguesa especializada em soluções gestão de dados e inteligência artificial, atingiu um volume de negócios recorde de 16 milhões de euros no ano passado, um crescimento de 38% face ao ano anterior.

Os números foram avançados pela empresa em comunicado, no qual a BI4ALL salienta que, mesmo em contexto de pandemia, está focada em expandir o negócio. Prevê um crescimento de 25% este ano e tenciona contratar até 100 novos colaboradores para a função de data analytics.

“Com os resultados alcançados em 2019, conseguimos atingir a meta à qual nos tínhamos proposto, consolidando a posição da BI4ALL nos mercados nacional e internacional. Em 2019, fomos particularmente bem-sucedidos, entre outros, em setores como farmacêutica, life science, banca e serviços financeiros e transportes”, refere José Oliveira, presidente executivo da BI4ALL, citado na mesma nota.

O crescimento da tecnológica registou-se, essencialmente, nos continentes americano e europeu, onde viu o negócio expandir em 65% e 61%, respetivamente. O mercado nacional “pesou” em 44% nas contas globais da empresa, registando um crescimento absoluto do volume de negócios superior a um milhão de euros, uma evolução de 17% face ao valor registado em 2018, indica.

A Covid-19 veio acelerar a transformação digital e, para muitas empresas, esta tendência é vista como uma oportunidade. É o caso da BI4ALL: “O clima de incerteza que vivemos devido à pandemia da Covid-19 impôs às organizações uma clara aposta no digital. É imperativo que as organizações tenham hoje uma estratégia digital que as mantenha próximas dos clientes e dos fornecedores, que permita reduzir custos, prever as vendas e agilizar e otimizar todos os processos para que continuem produtivas, rentáveis e eficientes”, realça também o líder da tecnológica.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

BI4ALL fatura 16 milhões de euros em 2019. Quer crescer 25% este ano e recrutar mais colaboradores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião