Chineses investem 220 milhões de euros no aumento de capital da EDP e evitam diluição da posição

A China Three Gorges pagou mais de 220 milhões de euros para comprar novas ações da EDP, evitando assim uma diluição da sua posição no aumento de capital da elétrica.

A China Three Gorges (CTG), principal acionista da EDP, também vai participar no aumento de capital da elétrica, subscrevendo cerca de 66,8 milhões de novas ações, pelas quais pagará quase 220,3 milhões de euros.

A informação foi comunicada pela elétrica à CMVM, numa nota onde o grupo detido pelo Estado chinês sublinha que a operação lhe permite manter o controlo sobre 21,47% da EDP, evitando desta forma uma diluição da sua posição.

Na nota divulgada esta quarta-feira, a empresa comunica “ter exercido direito de subscrição de um volume de 66.749.114 ações equivalentes ao percentual do capital social da EDP a que […], como acionista, tem direito de preferência em virtude do aumento de capital da companhia”. Estas novas ações têm um preço unitário de 3,30 euros.

“A subscrição das ações resulta de transação realizada fora de mercado em 3 de agosto de 2020 e unicamente sujeita aos mecanismos de liquidação física e financeira aplicáveis, tendo as ações sido vendidas pelo preço unitário de 3,30 euros por ação”, aponta.

Assim, “considerando que a signatária era titular, em momento anterior ao da transação, de 784.957.024 ações representativas de 21,47% do capital social da EDP, após a transação passou a deter 851.706.138 ações, mantendo o percentual representativo de 21,47% do capital social da EDP”, informa a CTG.

Esta notícia surge um dia depois de os espanhóis da Oppidum Capital, que detêm mais de 7% da EDP, também terem informado que investirão 73,8 milhões de euros para comprarem 22 milhões de novas ações da EDP. Noutra nota divulgada ao final do dia de terça-feira, foi tornado público que o presidente executivo suspenso da elétrica, António Mexia, participará a título particular com 26 mil euros para adquirir 8.000 novas ações.

Este aumento de capital da EDP visa financiar a compra da espanhola Viesgo. O negócio está avaliado em 2,7 mil milhões de euros: “A transação da Viesgo será parcialmente financiada através de uma oferta pública de subscrição de 1.020 milhões euros, um aumento de capital social com subscrição totalmente garantida até um máximo de 309.143.297 novas ações da EDP, representativas de um total de aproximadamente 8,45% do capital social da EDP”, explicou a EDP em julho.

Os direitos de subscrição da EDP estiveram a negociar na bolsa nos últimos dias, tendo a última sessão sido esta segunda-feira, altura em que fecharam a valer 9,71 cêntimos, uma desvalorização de 8,3% em oito sessões. No âmbito do aumento de capital da elétrica, é preciso exercer 11,75 direitos para comprar uma das novas ações que a empresa vai emitir.

(Notícia atualizada pela última vez às 18h27)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Chineses investem 220 milhões de euros no aumento de capital da EDP e evitam diluição da posição

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião