TdC aponta “ilegalidades” à EMEL na construção do parque do Campo das Cebolas

  • ECO
  • 6 Agosto 2020

A empreitada de construção do parque subterrâneo do Campo das Cebolas custou 2,5 milhões de euros a mais do que o previsto. Agora, o Tribunal de Contas veio apontas "ilegalidades" nas adjudicações.

O Tribunal de Contas (TdC) encontrou “ilegalidades” na empreitada de construção do parque de estacionamento do Campo das Cebolas e nos arranjos no espaço público envolvente, que custou mais 2,5 milhões de euros do que o previsto. A notícia é avançada pelo Público (acesso condicionado), que cita o relatório de uma auditoria à execução do contrato e de contratos adicionais que foram submetidos entre 2017 e 2018 pela EMEL.

A empreitada tinha um custo total previsto de 8,9 milhões de euros e obteve visto prévio em agosto de 2016, um mês depois de a EMEL submeter ao TdC o contrato da empreitada para efeitos de fiscalização. Porém, a empresa viria a fazer três adjudicações adicionais para “suprimento de erros e omissões” que, na visão dos juízes conselheiros, incluem valores que desrespeitam os limites estabelecidos no Código dos Contratos Públicos.

A EMEL justifica as adjudicações adicionais com a descoberta “surpresa” de achados arqueológicos durante a realização das obras, bem como outros motivos. No entanto, segundo o Público, o relatório da auditoria do TdC já está a caminho do Ministério Público e os membros do Conselho de Administração da EMEL que adjudicaram os trabalhos podem incorrer em multas entre os 2.550 e os 18.360 euros, de acordo com o jornal.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

TdC aponta “ilegalidades” à EMEL na construção do parque do Campo das Cebolas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião