Hoje nas notícias: Novo Banco, contratações e Marcelo

  • ECO
  • 10 Agosto 2020

Dos jornais aos sites, passando pelas rádios e televisões, leia as notícias que vão marcar o dia.

Os negócios a “desconto” do Novo Banco voltam às manchetes dos jornais, desta vez com a alienação da seguradora GNB na mira. É notícia ainda um estudo do INE que aponta para que metade dos novos contratados pelas empresas nos próximos dois anos não precisará de licenciatura e que o plano para recuperar empresas perdoa juros ao Fisco. Veja estas e outras notícias que marcam as manchetes nacionais.

Novo Banco vende GNB Vida com desconto de 70%

A GNB Vida, designada agora como Gama Life, foi vendida pelo Novo Banco em outubro de 2019 a fundos geridos pela Apax Partners. A seguradora terá sido vendida com um desconto de 68,5% face ao valor contabilístico, gerando uma perda para a instituição financeira de 268,2 milhões de euros. Para além da variação acentuada de valores, a alienação gera controvérsia devido aos sinais de que as autoridades nacionais e europeias terá desvalorizado indícios de ligação do comprador da Gama Life ao magnata do setor segurador Greg Lindberg, condenado já este ano pela Justiça norte-americana por corrupção e fraude fiscal.

Leia a notícia completa no Público (acesso condicionado)

Metade dos novos contratados nos próximos dois anos não precisará de licenciatura

As empresas esperam recrutar 345.584 mil trabalhadores nos próximos dois anos, um aumento de 10,8%, em termos brutos, um inquérito realizado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Mas metade do pessoal (49,9%) que os empregadores querem recrutar nesse período não precisará de ter formação superior. Para estas novas contratações, o curso superior só será uma exigência em 32,2% dos casos. Já para metade das vagas, é pedida formação profissional ou experiência.

Leia a notícia completa no Correio da Manhã (acesso pago)

Ribeiro e Castro: Seria um erro gravíssimo não apoiar a reeleição” de Marcelo

A cinco meses de distância das presidenciais, o PSD e sobretudo o CDS ainda hesitam no apoio na recandidatura de Marcelo Rebelo de Sousa. Mas responsáveis dos dois partidos apontam para a inevitabilidade desse apoio. “Seria um erro gravíssimo não apoiar a sua reeleição”, afirma o antigo líder centrista José Ribeiro e Castro. Já o politólogo José Adelino Maltez também considera inevitável o apoio do PSD e do CDS a Marcelo, considerando que o atual Presidente da República “é a respiração” desta área política.

Leia a notícia completa no Diário de Notícias (acesso pago)

Plano para recuperar empresas perdoa juros ao Fisco

As empresas que se encontrem em situação económica difícil ou em insolvência devido à pandemia de coronavírus, mas que ainda são viáveis podem recorrer ao novo Processo Extraordinário de Viabilização de Empresas (PEVE) que flexibiliza os processos para chegar a acordo com os credores, estabelece prazos mais curtos em tribunal e reduz – em alguns casos isenta – os juros de mora no pagamento das dívidas ao Fisco e à Segurança Social. Este mecanismo é temporário e estava previsto no Programa de Estabilização Económica e Social.

Leia a notícia completa no Jornal de Negócios (acesso pago)

Duarte Lima vai mesmo ser julgado em Lisboa

O antigo líder parlamentar do PSD, Duarte Lima, é considerado pela Justiça brasileira como o suspeito do homicídio de Rosalina Ribeiro, a antiga companheira do milionário Tomé Feteira. A Justiça brasileira deu o caso por encerrado e o processo já foi remetido para Portugal. Agora, de acordo com a lei nacional, o caso deve seguir para julgamento para apurar a responsabilidade de Duarte Lima no crime que teve lugar no Brasil há 11 anos.

Leia a notícia completa no i (link indisponível)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Hoje nas notícias: Novo Banco, contratações e Marcelo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião