Nas notícias lá fora: Air Europa, Barclays e Lukashenko

  • ECO
  • 10 Agosto 2020

O empresário e uma das principais figuras do movimento pró-democracia de Hong Kong Jimmy Lai foi detido ao abrigo da nova lei de segurança nacional, Esta e outras notícias nos jornais internacionais.

As companhias aéreas continuam a braços com dificuldades porque as viagens estão longe dos níveis pré pandemia. A AIG quer uma injeção de capital na Air Europa antes de avançar com a compra da mesma. Já o Barclays está a ser formalmente investigado pela autoridade responsável pela proteção de dados por espiar os seus colaboradores e Lukashenko conquistou um sexto mandato na Bielorrússia ao vencer com 80,23% dos votos.

Expansión

Iberia quer que Fomento saneie a Air Europa antes de comprar a companhia

A necessidade de garantir o futuro da Air Europa, que tudo aponta passará pela venda à International Airlines Group (IAG), proprietário da British Airways e da Iberia, é cada vez mais premente com o prolongar da crise na companhias aéreas devido à pandemia de coronavírus. Mas, apesar de já haver um acordo desde novembro de 2019 para comprar a espanhola Air Europa por mil milhões de euros, a IAG quer que a Sociedad Estatal de Participaciones Industriales (Sepi), uma holding estatal espanhola caracterizada como um fundo soberano, faça uma injeção na filial de Globalia antes de fechar a venda. As dificuldades da Air Europa em financiar-se nos mercados acelera a necessidade de ‘resgate’.

Leia a notícia completa na Expansión (acesso pago/conteúdo em espanhol)

FR24news

Barclays investigado por espiar colaboradores

O Barclays está a ser investigado pela pelo Information Commissioner’s Office (ICO) depois das acusações de que o banco britânico espiava os seus colaboradores. No início do ano, o Barclays anunciou que estava a mudar um sistema que monitorizava o modo como os trabalhadores usavam o tempo depois das pesadas críticas de que estava a espiar os colaboradores. A autoridade responsável pela proteção de dados anunciou que está a ser levada a cabo uma investigação formal, sem no entanto revelar quando estará concluída. “Se as organizações querem monitorizar os seus colaboradores, estes têm de saber e serem informados dos objetivos dessa monitorização e que esta traz benefícios efetivos. AS organizações devem alertar o pessoal da natureza, dimensão e razões para a vigilância”, sublinhou o porta-voz do ICO.

Leia a notícia completa em FR24news (acesso livre/conteúdo em inglês)

Reuters

Atividade económica em França 7% abaixo do nível normal

A atividade económica em França está 7% abaixo dos seus níveis normais em julho, revela o Banco de França. Este desempenho representa uma ligeira melhoria face ao mês anterior, já que o setor da construção está quase em níveis pré-Covid e a utilização da capacidade instalada da indústria também melhorou. Na atualização mensal das condições de negócio, o banco central disse que a segunda maior economia da zona euro registou um contração de 13,8% em linha com as suas previsões. “A recuperação continuou em julho, num ritmo mais moderado, em linha com a trajetória antecipada o mês passado”, disse o Banco de França. Em junho, atividade económica estava 9% abaixo dos níveis normais, uma recuperação muito significativa face à redução de 32% verificada durante as primeiras duas semanas de confinamento em março.

Leia a notícia completa na Reuters (acesso livre/conteúdo em inglês)

Euronews

Reeleição do Presidente Lukashenko contestada nas ruas. Confrontos entre manifestantes e polícia em Minsk

O Presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, venceu as eleições presidenciais com 80,23% dos votos, anunciou a agência de notícias estatal Belta, no dia seguinte ao escrutínio marcado por violência e acusações de fraude. Manifestantes antigovernamentais envolveram-se na noite deste domingo em confrontos com a polícia em Minsk, que utilizou granadas sonoras antimotim e canhões de água, referiam media russos e bielorrussos, na sequência de eleições presidenciais, realizadas sob grande tensão. A agência noticiosa russa Ria Novosti divulgou estes confrontos, à semelhança dos media bielorrussos da oposição tut.by, Nacha Niva e Nexta, nos arredores do monumento Stella da capital. A polícia garante que tem a situação controlada.

Leia a notícia completa na Euronews (acesso livre/conteúdo em inglês)

AFP

Gigante dos media de Hong Kong preso ao abrigo da lei de segurança nacional

Jimmy Lai, de 72 anos, proprietário de duas publicações pró-democracia frequentemente críticas de Pequim, o diário Apple Daily e o Next Magazine, foi preso em Hong Kong esta segunda-feira ao abrigo da lei de segurança nacional. Em causa estão suspeitas de conluio com forças estrangeiras. “Foi detido em casa, cerca das 07h00 (00:00 em Lisboa). Os nossos advogados estão a caminho da esquadra”, disse à AFP Mark Simon, um dos colaboradores de Lai. Simon acrescentou que outros membros do grupo de comunicação social dirigido por Jimmy Lai também tinham sido detidos. Momentos antes, na rede social Twitter, Mark Simon tinha anunciado: “Jimmy Lai está agora a ser detido por conluio com potências estrangeiras”.

Um responsável da polícia disse, a coberto do anonimato, à AFP que Lai foi detido por conluio com forças estrangeiras, um dos crimes previstos na nova lei de segurança nacional, e por fraude. Através do Twitter, Mark Simon indicou ainda que a polícia estava a fazer buscas na casa de Lai e na do filho.

Leia a notícia completa na AFP (acesso livre / conteúdo em inglês)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Nas notícias lá fora: Air Europa, Barclays e Lukashenko

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião