Sérvulo promove três novos sócios nas áreas de público e fiscal

Henrique Rodrigues da Silva, Francisca Mendes da Costa e Teresa Pala Schwalbach reforçaram a equipa de sócios da Sérvulo & Associados.

A sociedade de advogados Sérvulo & Associados promoveu três associados principais a sócios nas suas áreas de especialização. Os advogados promovidos foram Henrique Rodrigues da Silva, da área de público e contencioso administrativo, Francisca Mendes da Costa, de público, projetos e arbitragem, e Teresa Pala Schwalbach, de fiscal.

Para Paulo Câmara, managing partner da Sérvulo, os novos sócios constituem “três perfis com percursos notáveis que sempre se distinguiram pelo seu espírito de iniciativa, pela sua orientação para resultados e pela capacidade de resposta em temas complexos”.

Henrique Rodrigues da Silva integra a firma desde 2018 e centra a sua atividade na área de contratação pública, acompanhando procedimentos administrativos de formação de contratos públicos e assessorando concorrentes e entidades adjudicantes. No que concerne ao setor de contencioso administrativo, patrocina entidades públicas e privadas em litígios junto dos Tribunais Administrativos e de Tribunais Arbitrais. O novo sócio é ainda árbitro, em matéria administrativa, da lista do CAAD – Centro de Arbitragem Administrativa, e vogal do Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol.

Teresa Pala Schwalbach, Henrique Rodrigues da Silva e Francisca Mendes da Costa (da esquerda para a direita), sócios da Sérvulo.

Francisca Mendes da Costa dedica-se às áreas de público, projetos e arbitragem, detendo uma vasta experiência na execução e coordenação de projetos internacionais, em assessoria jurídica na celebração e acompanhamento da execução de contratos de concessão, bem como em processos de negociação de contratos, designadamente no âmbito de parcerias público-privadas rodoviárias e ferroviárias e no setor da saúde. Na Sérvulo desde 2008, a nova sócia presta ainda assessoria jurídica a entidades do setor público na preparação, montagem e acompanhamento de procedimentos pré-contratuais de direito público e é especializada no domínio da arbitragem e do contencioso administrativo.

Francisca Mendes da Costa é cocoordenadora da African Desk, que integra a SÉRVULO LATITUDE⦵, rede internacional de sociedades de advogados independentes associadas à Sérvulo.

Na sociedade de advogados liderada por Paulo Câmara desde 2015, Teresa Pala Schwalbach coordena a área de consultoria fiscal e a Scandinavian Desk, uma plataforma especializada destinada a aconselhar empresas e clientes individuais dos países nórdicos. No seu percurso destaca-se ainda a assessoria fiscal a grandes transações nacionais e internacionais, tais como reestruturações empresariais e operações financeiras internacionais, e o acompanhamento de clientes privados que desejam mudar-se para Portugal e necessitam, entre outros aspetos, de assessoria na avaliação do enquadramento fiscal dos seus investimentos.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Sérvulo promove três novos sócios nas áreas de público e fiscal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião