Eletricidade verde da Galp já chega a 15 mil novos clientes. Custa 89 por mês para um casal com filhos

Os planos de energia verde estão disponíveis para novas adesões de clientes individuais ou empresariais, fornecendo eletricidade produzida a partir de fontes 100% renováveis.

O mês de junho de 2020 marcou o momento em que a Galp Energia passou a disponibilizar uma oferta de energia elétrica 100% renovável aos seus clientes, proveniente da compra de certificados de origem de diversas fontes. A empresa dá conta que a sua eletricidade verde chega já a 15 mil novos clientes.

A Galp tinha já anunciado que celebrou acordos de compra com espanhola X-Elio, tendo esta energia elétrica origem em parques solares de 200 MW em Espanha. Estes acordos cobrem o equivalente a 358 GWh/ano por 12 anos, o suficiente para abastecer 140 mil casas com uma redução anual de 19 mil toneladas de emissões de CO2. No final do primeiro semestre, a capacidade instalada de geração renovável da Galp era de 12 MW, relativos a um parque eólico onde a empresa detém uma participação através da Ventinveste (51,5%). Até o momento, a empresa não possui capacidade instalada de energia solar fotovoltaica em operação, no entanto há alguns projetos em desenvolvimento.

Os planos de energia verde estão disponíveis para novas adesões de clientes individuais ou empresariais, fornecendo eletricidade produzida a partir de fontes 100% renováveis, como a energia hídrica, eólica ou solar, com baixas emissões de carbono. A empresa fala de uma “forte adesão nas primeiras semanas”, tendo atingido já a fasquia dos 15 mil novos clientes.

Quanto a preços, o tarifário mais barato de energia verde da Galp Energia — Galp Continente Eletricidade Verde, com adesão a fatura eletrónica e débito direto — resulta numa fatura mensal de 88, 59 euros por mês (1.063 euros por ano) para um casal com dois filhos (potência contratada de 6,9 kVA, contagem bi-horária e um consumo de cerca de 5000 kWh), de acordo com o simulador de preços da ERSE. Por comparação com a oferta mais barata do mercado livre (da Muon Electric) para o mesmo consumidor tipo, a energia verde da Galp sai mais cara cerca de 10 euros por mês.

A grande diferença entre os dois tarifários é o facto de o da Galp Energia incluir reembolsos no valor de 113,41 euros por ano. O simulador da ERSE esclarece que o montante dos reembolsos “não é descontado diretamente na fatura, mas sim atribuído em cupão a ser carregado como saldo no cartão Continente. Os preços unitários apresentados neste simulador correspondem aos valores utilizados na fatura, antes da atribuição do saldo em cartão Continente”.

Fazendo as contas a contar com os reembolsos, a comparação com o tarifário mais barato do mercado livre é de apenas de mais 7,34 euros por ano e mais 0,61 euros por mês.

“Inseridos na estratégia que tem posicionado a Galp como um agente ativo na transição energética, os novos planos de eletricidade verde são mais um exemplo de como a Galp tem diversificado o seu portfólio de oferta aos clientes com soluções que promovam a utilização de energias mais limpas e sustentáveis”, referiu a Galp em comunicado, sublinhando também a oferta de soluções de carregamento para veículos elétricos, incluindo o fornecimento de eletricidade e uma rede ampla e nacional de carregamento rápido nas estações de serviço da marca em Portugal.

(Notícia atualizada)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Eletricidade verde da Galp já chega a 15 mil novos clientes. Custa 89 por mês para um casal com filhos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião