Obras no Hospital Militar custaram mais do triplo face ao estimado

  • ECO
  • 12 Agosto 2020

Montante foi distribuído por três empresas, em quatro contratos por ajuste direto, assinados a 6 de abril, com um prazo de execução de 20 dias. No entanto as obras tiveram início muito antes.

Inicialmente estava previsto que a reabilitação de três dos cinco pisos do antigo Hospital Militar de Belém custasse 750 mil euros. Mas a fatura já vai em Belém 2.598.964,46 euros, num contrato estabelecido por ajuste direto, revela o Diário de Notícias (acesso pago) esta quarta-feira.

A Direção-Geral de Recursos da Defesa já pagou a conta, mas o Ministério da Defesa não aceita que tenha havido uma derrapagem nas contas, nem justifica a diferença de valores. As obras na instituição visaram reforçar o SNS no internamento de doentes com Covid-19.

O valor dos ajustes diretos está publicado no portal base. Aos mais de 2,5 milhões ainda acresce o IVA de 23%, o que eleva a verba para quase 3,2 milhões de euros. Este montante foi distribuído por três empresas, em quatro contratos, assinados a 6 de abril, com um prazo de execução de 20 dias. No entanto as obras tiveram início muito antes.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Obras no Hospital Militar custaram mais do triplo face ao estimado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião