SNQTB lamenta declarações da APB que põem “em causa” profissionalismo dos bancários

  • Lusa
  • 18 Agosto 2020

O Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários lamentou as declarações da Associação Portuguesa de Bancos (APB) na sequência de uma denúncia da Ordem dos Contabilistas Certificados.

O Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários (SNQTB) lamentou as declarações da Associação Portuguesa de Bancos (APB) na sequência de uma denúncia da Ordem dos Contabilistas Certificados, considerando que “colocam em causa o profissionalismo dos bancários”.

“O Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários (SNQTB) lamenta as declarações da Associação Portuguesa de Bancos (APB) que colocam em causa o profissionalismo dos bancários, na sequência da recente denúncia da Ordem dos Contabilistas Certificados em que refere que os contabilistas estão a ser pressionados pela banca a prestar falsas declarações sobre quebras de faturação dos seus clientes”, pode ler-se num comunicado enviado esta terça-feira pelo SNQTB.

A bastonária da Ordem dos Contabilistas Certificados (OCC), Paula Franco, afirmou na semana passada que os bancos estão a pressionar contabilistas para falsificarem declarações para permitir o acesso ao crédito, mas a associação que representa o setor desconhece tais episódios.

Paula Franco afirmou que os bancos estão “a pedir aos contabilistas para fazerem o jeitinho” – referindo que é mesmo esta a expressão que está a ser utilizada em alguns casos – de passar declarações registando quebras de faturação superiores a 40%, de forma a acederem às linhas de crédito garantidas pelo Estado ao abrigo da pandemia de covid-19, cuja condição de acesso é precisamente esse limiar na quebra de faturação.

A Lusa contactou a Associação Portuguesa de Bancos (APB), que assegurou desconhecer tais situações, afirmando que o setor se rege pela lei.

A associação que representa o setor bancário adiantou ainda que “quaisquer condutas isoladas de colaboradores bancários” que se possam ter “eventualmente afastado das regras éticas e legais que norteiam a atuação dos bancos, serão certamente alvo de análise e aplicação das medidas adequadas, por parte das instituições”.

São estas declarações referentes aos bancários que o SNQTB contesta, considerando “inadmissível que a APB atribua a total responsabilidade aos bancários em eventuais condutas isoladas”, com o presidente do sindicato, Paulo Marcos, a afirmar que o exigido das instituições bancárias “num Estado de Direito, com padrões de ética que se impõem a quaisquer organizações que prestam um serviço público”, é que cumpram a lei.

“O que não podemos é permitir que a associação que representa essas instituições venha desresponsabilizar-se, apontando o dedo aos bancários, com a teoria de presumíveis atos isolados e ameaçando com represálias para os profissionais. Não aceitamos esta narrativa desculpabilizante que já começa a ser recorrente”, disse o dirigente sindical, citado no comunicado.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

SNQTB lamenta declarações da APB que põem “em causa” profissionalismo dos bancários

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião