Ifo: Economia alemã “a caminho da recuperação” com melhoria no ambiente empresarial

  • Lusa
  • 25 Agosto 2020

A expectativa para os próximos meses é também mais otimista, com as carteiras de encomendas a crescerem novamente, indicou o Ifo.

O instituto económico alemão Ifo acredita que a economia do país está “a caminho da recuperação” tendo em conta uma melhoria do ambiente empresarial, de acordo com um comunicado divulgado esta terça-feira.

Assim, de acordo com a instituição, num comunicado assinado pelo presidente Clemens Fuest, os empresários alemães estão com mais confiança, sendo que o índice de ambiente empresarial do Ifo cresceu de 90,4 em julho para 92,6 em agosto.

“As empresas avaliam a sua situação atual de forma marcadamente mais positiva do que no mês passado” e as suas “expectativas também foram um pouco mais otimistas”, indicou o Ifo, concluindo que a economia alemã está assim “a caminho da recuperação”.

Na indústria, o ambiente empresarial melhorou “consideravelmente”, com a avaliação das empresas a subir ainda mais do que em outros setores, ainda que muitas companhias considerem a sua situação atual “fraca”.

Nos serviços, o índice também registou um crescimento “forte”, referiu a instituição, garantindo que as empresas desta área estão “mais contentes” com a sua situação atual e esperam mais melhorias nos próximos seis meses.

Já no comércio, a tendência de crescimento “esbateu-se”, de acordo com o Ifo, que disse que, apesar de as empresas estarem mais satisfeitas com a sua situação, o pessimismo em relação aos próximos meses mantém-se, sendo que no segmento grossista o indicador acabou mesmo por recuar.

Na área da construção, o índice de ambiente empresarial continua a melhorar, estando as empresas mais satisfeitas com a sua situação, mas mantendo expectativas pessimistas, ainda que com uma ligeira melhoria face ao mês passado.

Este indicador é baseado em aproximadamente 9.000 respostas mensais de negócios em várias áreas de atividade.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ifo: Economia alemã “a caminho da recuperação” com melhoria no ambiente empresarial

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião