Bankinter dá spread de 0,95% na casa. Quanto dão os outros bancos?

Os spreads mínimos exigidos por dez bancos mais representativos do mercado de crédito à habitação em Portugal caem agora no intervalo entre os 0,95% e os 1,25%.

O Bankinter cortou o preço mínimo que exige para financiar a compra de casa colocando a fasquia abaixo de 1%, o que não acontecia na banca nacional há, pelo menos, uma década. O banco espanhol cobra agora um mínimo de 0,95% para dar crédito à habitação, o spread mais competitivo do mercado. Mas e os outros bancos a partir de que valores estão a exigir aos clientes?

Foi esta segunda-feira que o Bankinter anunciou o corte do seu spread mínimo exigido para disponibilizar empréstimos para a compra de habitação que se encontrava fixado nos 1% desde setembro de 2018, para o colocar agora na nova fasquia de 0,95%. Será necessária recuar pelo menos até 2010 para ver níveis de spreads na ordem deste valor ou mesmo mais baixos.

“Ao baixar o spread do Crédito Habitação para 0,95%, o valor mais competitivo do mercado, reafirmamos o nosso compromisso com os clientes em Portugal, que sabem que podem contar com o Bankinter para os apoiar na realização dos seus projetos neste momento tão importante”, dizia o Vítor Pereira, Diretor de Produtos, CRM e Marketing e membro da Comissão Executiva do Bankinter Portugal, em comunicado.

Os 0,95% agora exigidos voltam a colocar o banco espanhol isolado com a proposta base mais competitiva no mercado. Já em 2020, tanto o BCP como o Santander baixaram os spreads, igualando a margem mínima de 1% que vinha a ser exigida pelo Bankinter ao longo dos últimos dois anos.

Os spreads mínimos em dez bancos

Fonte: Preçários dos bancos

Esses três bancos são os que exigem as margens mínimas mais baixas do mercado, sobressaindo numa tendência decrescente dos spreads que se intensificou nos últimos anos no setor em geral que vê na disponibilização de crédito uma das suas principais fontes de rentabilidade num contexto de juros historicamente baixos, mesmo negativos.

Entre os dez bancos mais representativos do mercado de crédito à habitação em Portugal, o atual quadro dos spreads mínimos está agora assim limitado entre os 0,95% agora exigidos pelo Bankinter e os 1,25%. Esta é margem mínima exigida pelo Novo Banco que sobressai como a proposta menos competitiva, mas não muito distante da Caixa Geral de Depósitos. O banco público exige, no mínimo, um spread de 1,23% para financiar a aquisição de casa.

A meio da tabela estão o BPI e o Crédito Agrícola com uma margem mínima de 1,2%, um pouco acima face aos 1,275% em vigor no Banco Montepio.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Bankinter dá spread de 0,95% na casa. Quanto dão os outros bancos?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião