Amazon torna-se no principal cliente de veículos elétricos Mercedes-Benz

  • Lusa
  • 9 Setembro 2020

A empresa norte-americana de comércio eletrónico encomendou mais de 1.800 unidades de eVito e eSprinter.

A empresa norte-americana de comércio eletrónico Amazon tornou-se no principal cliente de veículos elétricos Mercedes-Benz, encomendando mais de 1.800 unidades de eVito e eSprinter.

O pedido está dividido entre cerca de 600 eVito de médio porte e mais de 1.200 unidades de eSprinter com carroçaria grande, que entrarão em operação ainda este ano, noticia hoje a agência Efe.

O Mercedes-Benz eSprinter, com um peso máximo permitido de 3.500 quilos na sua versão de teto alto, tem uma potência máxima de 85 quilowatts (kW) e pode ser escolhido com duas capacidades de bateria, dependendo de uma maior autonomia ou uma maior carga útil.

No caso dos veículos produzidos para a Amazon, têm a maior bateria, a de 47 kW/hora de carga útil, com a qual podem viajar até 168 quilómetros. Estes veículos com um carregador rápido podem ser recarregados de 10% a 80% em cerca de 25 minutos. O Mercedes-Benz eVito, também de 85 kW, tem uma bateria de 35 kW/hora, o que garante uma autonomia de 150 a 184 quilómetros após seis horas de carga.

A fabricante de veículos e a empresa norte-americana Jezz Bezos colaboram na Alemanha desde 2018 no campo da mobilidade elétrica. Desde aquele ano, a divisão de Mercedes-Benz Vans, em conjunto com vários dos seus parceiros, tem vindo a montar uma infraestrutura de recarga elétrica para a Amazon Logistics Germany, que na cidade alemã de Essen conta com 340 pontos de recarga, o que o torna no maior da Europa.

A Mercedes-Benz também faz parte do “The Climate Pledge”, iniciativa da Amazon e do Global Optimism para atingir os objetivos do Acordo de Paris 10 anos antes do previsto, ou seja, em 2040.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Amazon torna-se no principal cliente de veículos elétricos Mercedes-Benz

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião