From start to table estreia categoria de sustentabilidade

Terceira edição do programa de aceleração de negócios de restauração e F&B da Startup Lisboa estreia categoria dedicada a negócios sustentáveis. Candidaturas terminam a 20 de setembro.

Negócios de restauração e F&B tecnológicos e… sustentáveis. A Startup Lisboa anda à procura de ideias e negócios inovadores para o setor da restauração que queiram integrar a terceira edição do programa de aceleração de startups From start to table.

Este ano, o programa decorre online — exceção feita ao primeiro e último dias — e vai selecionar 20 ideias ou negócios em duas categorias diferentes: foodtech e sustentabilidade.

“Temos a vontade e o ânimo de continuar a desenvolver o programa que se assume como referência nesta área”, referiu Miguel Fontes, diretor da Startup Lisboa, na apresentação desta edição. Com o apoio do Turismo de Portugal e de empresas como a Delta e a Central de Cervejas, o programa quer promover o contacto e a aproximação entre participantes e parceiros/mentores, “mantendo o ambiente eletrizante e a boa vibração entre todos”, assegurou ainda o responsável.

“Este é o momento em que, mais do que nunca, precisamos dos nossos empreendedores”, assinalou Sérgio Guerreiro, do Turismo de Portugal. Já Marta Miraldes, diretora do programa de aceleração, assinala que a nova categoria é resultado de uma tendência detetada ao longo das últimas duas edições. Na apresentação do programa, a secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, acrescentou que o “turismo com propósito faz-se com emoções, pessoas certas e inovação”, apelando à participação dos empreendedores.

As candidaturas ao programa decorrem até 20 de setembro.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

From start to table estreia categoria de sustentabilidade

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião