Governo destina 5 milhões de euros para acelerar testes à Covid, 85% a fundo perdido

O Governo vai destinar uma verba de cinco milhões de euros em fundos europeus para acelerar os testes à Covid-19, 85% a fundo perdido.

Desde que a pandemia chegou a Portugal que o Governo assumiu que o rastreio e a testagem seriam uma das prioridades no combate a Covid-19. Nesse sentido, o Governo acaba lançar um programa para aumentar a capacidade de testagem em Portugal, num investimento de fundos comunitários que ronda os cinco milhões de euros.

Numa altura em que o aumento de novos casos não pára de aumentar, o Executivo lança o programa “Testar”, com o intuito de “aumentar a capacidade de rastreio e testagem da população em Portugal”, anunciou esta sexta-feira o Ministério da Coesão Territorial, em comunicado.

Este programa, financiado em cinco milhões de euros provenientes de fundos comunitários, vai apoiar uma rede de instituições no âmbito dos testes de despiste à Covid-19, no desenvolvimento de novos testes e métodos de testagem, bem como, na realização de novos estudos imunológicos à população.

A esmagadora maioria do montante disponibilizado, 85%, é a fundo perdido, sendo que servirá para apoiar despesas com “equipamentos científicos e técnicos, recursos humanos, registo de patentes e adaptação de edifícios e instalações” indispensáveis para travar o novo coronavírus, esclarece o ministério liderado por Ana Abrunhosa.

Esta rede, denominada “Heróis dos Testes”, vai envolver instituições de ensino superior, institutos de investigação e centros de estudos certificados pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge. Cada entidade pode ser no máximo 300 mil euros.

De acordo com o Governo, o obejtivo desta medida é “minimizar o tempo de espera pelos resultados dos testes, reduzir a taxa de contaminação do novo coronavírus e enfrentar as exigências colocadas ao Sistema Nacional de Saúde”, conclui a nota de imprensa.

Face ao aumento do número de casos de infeções dos últimos dias e com a aproximação da época da gripe sazonal, todos os esforços estão concentrados no combate à Covid-19. Esta quinta-feira, o Executivo anunciou que vai aumentar a capacidade de testagem do Serviço Nacional de Saúde para 21 mil testes por dia, acima dos 14 mil testes que se estão a fazer diariamente.

(Notícia atualizada às 17h52)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo destina 5 milhões de euros para acelerar testes à Covid, 85% a fundo perdido

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião