Região Centro esgota apoios à criação de emprego

Concursos do +Co3so Emprego começaram a ser lançados a 15 de julho e dois meses depois esgotaram a dotação atribuída. Apoios podem ascender, no máximo, a 2.280 euros por trabalhador, por três anos.

A região centro suspende esta terça-feira a receção de candidatura ao programa de apoio ao emprego porque esgotou o plafond disponível de 24 milhões de euros, comunica a CCDR Centro, na sua página online.

“Nos termos do ponto 15 do Aviso em referência e em conformidade com a decisão da Autoridade de Gestão do Programa Centro 2020, comunica-se
que, a partir das 18h00 do dia 15 de setembro de 2020, será suspensa a receção de candidaturas”, pode ler-se no comunicado, assinado por Isabel Damasceno, em referência a todos os avisos referentes ao programa +Co3so nas suas diversas vertentes: urbano, interior e empreendedorismo social.

Os concursos começaram a ser lançados a 15 de julho e dois meses depois esgotaram “largamente” a dotação atribuída, apurou o ECO, e 24 horas antes do encerramento é feita a comunicação do mesmo, de acordo com as regras.

O programa foi lançado precisamente há dois meses com uma dotação de 90 milhões de euros para apoiar as empresas a contratarem novos colaboradores. Os apoios do programa +Co3so Emprego, podem ascender, no máximo, a 2.280 euros por trabalhador durante três anos, mas essa majoração apenas está disponível para as empresas do interior, constituídas há cinco anos, de empreendedorismo social e empresários da diáspora.

Em entrevista ao ECO, aquando do lançamento da medida, a ministra da Coesão, Ana Abrunhosa, explicou que com esta medida, o Governo esperava apoiar, a fundo perdido, a criação de 1.600 novos postos de trabalho. E caso o programa tivesse sucesso, os 90 milhões de euros poderiam ser reforçados.

Nas duas primeiras semanas após o lançamento do programa, foram recebidas 120 candidaturas, sendo que a grande maioria foi para territórios do interior, avançou o Público. O ECO pediu ao Ministério da Coesão Territorial um balanço da aplicação da medida, mas até ao momento ainda não obteve resposta.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Região Centro esgota apoios à criação de emprego

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião