CaixaBank e Bankia fecham acordo de princípio para a fusão

Os dois bancos espanhóis já terão alcançado um acordo de princípio com vista a uma fusão, depois de os acionistas terem dado o aval à operação, avança a Reuters.

O CaixaBank, dono do BPI, e o Bankia já terão um acordo de princípio com vista a uma fusão. Os dois bancos espanhóis marcaram para, esta quinta-feira, reuniões dos respetivos conselhos de administração para acertar os termos da operação, segundo avança a Reuters.

Duas fontes familiarizadas com as negociações adiantaram à agência noticiosa que os principais acionistas das duas instituições financeiras deram ontem à noite o aval à fusão de operações que poderá resultar na criação do maior banco em Espanha. “O negócio recebeu ‘fumo branco’ ontem à noite pelos seus principais acionistas”, disse uma dessas fontes, sem dar mais detalhes sobre o negócio.

O Estado espanhol detém 61,8% do capital do Bankia e a fundação La Caixa controla, através da sua empresa-mãe Criteria, 40% do CaixaBank. Contactados pela Reuters, os dois bancos e o Ministério da Economia de Espanha recusaram comentar.

Foi no passado dia 3 de setembro que o CaixaBank e o Bankia anunciaram estar a negociar uma fusão integral para criar um banco com cerca de 600 mil milhões de euros em ativos e uma capitalização de mercado combinada de cerca de 16,3 mil milhões de euros, de acordo com as atuais avaliações de mercado.

Este negócio surge numa altura em que os bancos em toda a Europa lutam para lidar com o nível historicamente baixo das taxas de juros e a desaceleração económica desencadeada pela pandemia de Covid-19, levando o setor a antecipar mais acordos com vista à redução dos respetivos custos.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CaixaBank e Bankia fecham acordo de princípio para a fusão

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião