Oito em cada dez portugueses usam o carro em viagens dentro da UE

Em 2018, o carro representava 82,9% das viagens realizadas dentro da União Europeia. Depois da Lituânia, são os portugueses que mais utilizam este meio de transporte. Autocarro e comboio em 2º plano.

O carro é o meio de transporte dominante nas viagens entre o espaço comunitário, apesar de as questões ambientais e a preocupação para reduzir os níveis de dióxido de carbono no planeta estarem a ganhar cada vez mais importância. Apesar de os lituanos serem os cidadãos europeus que mais usam este meio de transporte para viagens, os portugueses surgem logo em segundo lugar.

Em 2018, o carro representava 82,9% das viagens realizadas dentro da União Europeia (UE), segundo os dados divulgados pelo Eurostat. Ou seja, mais de oito em cada 10 europeus optaram por este meio de transporte, ao invés do autocarro (9,3%) ou do comboio (7,9%).

Entre os 27 Estados-membros da UE é na Lituânia que o carro é mais utilizado para estas deslocações, com 90,4% dos cidadãos a fazê-lo. Logo atrás, em segundo lugar, surge Portugal com quase nove (88,4%) em cada dez portugueses a optarem pelo carro como meio de transporte, ou seja, 2,2 pontos percentuais acima da média europeia.

Ainda no pódio dos países europeus que mais são dependentes do carro para estas viagens consta a Eslovénia, com 86,4%. No polo oposto, são os húngaros que menos utilizam este meio de transporte (70,6%), seguidos pelos turcos (71%) e pelos checos (73,3%.

Húngaros preferem autocarro. Austríacos são os “reis” do comboio

Mais “amigos do ambiente” são, naturalmente, os autocarros e o comboio, já que se trata de transportes coletivos. E se, em média, apenas 9,3% dos europeus utilizam o autocarro, do conjunto comunitário são os húngaros que mais o utilizam (20,8%). Seguidos pelo Chipre (18,9%) e Malta (17,5%).

Em contraciclo, os holandeses, britânicos e os noruegueses são os que menos utilizavam o autocarro em 2018 para viagens entre o espaço Schengen. E se em Portugal o meio “preferido” era o carro, certo é que os portugueses estão ligeiramente abaixo da média da UE, com apenas sete em cada dez portugueses a usarem o autocarro (7,3%).

No que respeita ao comboio, utilizado por 7,9% dos europeus, é na Áustria que é mais utilizado (12,9%), seguido pela Holanda (11,2%) e por França (10,3%). No polo oposto, surgem os gregos (0,9%), lituanos (1,1%) e os eslovenos (1,8%).

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Oito em cada dez portugueses usam o carro em viagens dentro da UE

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião