Subscrições tipo “Netflix” a caminho do setor da aviação

  • ECO
  • 21 Setembro 2020

Pagar uma mensalidade e ter direito a um bilhete de ida e volta para qualquer destino todos os meses pode vir a ser uma realidade em breve. Companhias aéreas estão de olho no modelo "Netflix".

E se, em vez de comprar bilhetes, pudesse viajar com uma subscrição? Essa poderá ser uma realidade muito em breve. O modelo de negócio “Netflix” está a chegar à aviação civil europeia, numa altura em que a generalidade das companhias aéreas busca novas fontes de receita perante o impacto da pandemia.

A tecnológica Caravelo está na corrida e encontra-se a negociar com várias companhias aéreas de Espanha, Reino Unido e de outros países, com vista a oferecer um modelo de subscrição deste tipo na Europa. Há já pelo menos uma empresa de aviação espanhola a bordo, segundo revelou esta segunda-feira o El Economista.

Segundo o jornal espanhol, a subscrição mensal poderá dar direito a um bilhete por mês a um preço fixo e reduzido para qualquer destino e a qualquer momento. Um estudo de mercado da Caravelo indica que os viajantes estão dispostos a pagar entre 44 e 64 euros por uma viagem de ida e volta todos os meses.

Face à crise sanitária mundial, os aviões de passageiros ficaram em terra. O levantar do confinamento reanimou ligeiramente as ofertas, mas ainda assim em níveis muito abaixo dos registados antes da Covid-19. Neste contexto, o modelo de subscrições é vantajoso para as empresas na medida em que permite gerar uma linha de receita estável numa altura de grande incerteza.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Subscrições tipo “Netflix” a caminho do setor da aviação

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião