Managing partner da PLMJ reconhecido pelo Financial Times Innovative Lawyers

Bruno Ferreira, managing partner da PLMJ, é o único português entre os seis líderes mais inovadores da Europa. Este ano, o ranking não atribui prémios individuais. Resultados serão conhecidos dia 1.

Bruno Ferreira, managing partner da PLMJ, é o único português entre os seis líderes mais inovadores da Europa reconhecidos pelo Financial Times Innovative Lawyers, ranking de prémios atribuído ao setor jurídico.

A distinção agora atribuída ao managing partner Bruno Ferreira “é o justo reconhecimento pelos resultados de uma enorme e inovadora transformação pela qual a PLMJ tem passado ao longo dos últimos dois anos”, explica fonte oficial do escritório à Advocatus.

Em causa estão mudanças significativas centradas em três pilares, segundo a mesma fonte: “aposta no nosso talento, inovação tecnológica e integração da sustentabilidade no centro da estratégia do escritório. Além destas apostas, a PLMJ fez uma importante mudança geracional – Bruno Ferreira é o líder mais novo à frente de um escritório com a dimensão da PLMJ e também o board integra já vários membros da geração mais nova da sociedade”. Atualmente, este cargo é dividido com Luís Pais Antunes, sócio da PLMJ.

O evento de anúncio dos FT innovative Lawyers Awards é transmitido online no dia 1 de outubro e neste âmbito Bruno Ferreira vai participar num painel de discussão ao lado dos outros lideres de sociedades de advogados que foram considerados os mais inovadores pelo FT. Os FT Innovative Lawyers representam uma análise única ao setor, avaliando o poder de inovação dos advogados para com os clientes mas, também, na gestão das suas próprias atividades.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Managing partner da PLMJ reconhecido pelo Financial Times Innovative Lawyers

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião