Wall Street em alta com dados sobre vendas de casas. Tecnológicas ajudam

Numa sessão volátil, que arrancou com perdas mas acabou por ser de valorizações, os investidores analisaram dados sobre o desemprego e sobre a venda de casas novas.

O dia foi de volatilidade em Wall Street. Os principais índices de referência arrancaram a sessão em queda, com dados desanimadores dos pedidos de desemprego a pesar no sentimento, mas acabaram por inverter a tendência e fechar em terreno positivo. A contribuir para esta mudança estiveram os dados sobre vendas de casas novas, bem como subidas nas cotadas tecnológicas.

Dados que revelaram que 870 mil norte-americanos se inscreveram para receber subsídio de desemprego na semana que terminou em 19 de setembro penalizaram no arranque da sessão. No entanto, foi depois conhecido que as vendas de novas residências familiares atingiram seu nível mais alto em quase 14 anos em agosto, animando o sentimento.

Para além disso, conversas sobre o novo pacote de estímulos para a economia, depois de semanas de impasse no Congresso, também animaram os investidores.

Depois de altos e baixos, os principais índices de referência registaram ganhos ligeiros. O industrial Dow Jones subiu 0,2% para os 26.815,44 pontos, enquanto o S&P 500 avançou 0,3% para 3.246,59 pontos. Já o tecnológico Nasdaq ganhou 0,4% para 10.672,27 pontos.

A impulsionar o desempenho em Wall Street encontram-se as tecnológicas. A Apple avançou 1,03% para os 108,22 dólares, a Microsoft subiu 1,30% para os 203,19 dólares e a Alphabet, dona da Google, ganhou 0,96% para os 1.422,86 dólares.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Wall Street em alta com dados sobre vendas de casas. Tecnológicas ajudam

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião