Instituição do príncipe Aga Khan comprou Palacete Leitão em Lisboa por 13,5 milhões

  • Lusa
  • 9 Outubro 2020

O Imamat Ismaili pretende reforçar investimentos em Portugal projetando já o alargamento da futura sede mundial que está a ser instalada no Palácio Mendonça.

O Imamat Ismaili, instituição liderada pelo príncipe Aga Khan, adquiriu esta semana por 13,5 milhões de euros o Palacete Leitão, em Lisboa, junto ao terreno onde vai ser edificada a futura sede mundial, disse à Lusa fonte do organismo. De acordo com fonte oficial da instituição, para o imóvel está previsto um projeto de reabilitação ainda não orçamentado.

O Palacete Leitão, na rua Marquês de Fronteira, ocupa o terreno contíguo à futura sede mundial do Imamat Ismaili e deverá acolher uma parte dos serviços que ali vão ser instalados.

Com a nova aquisição concretizada esta semana, referiu a fonte, o Imamat Ismaili pretende reforçar investimentos em Portugal projetando já o alargamento da futura sede mundial que está a ser instalada no Palácio Mendonça, edifício histórico, atualmente alvo de uma intervenção de recuperação e reabilitação.

Os dois edifícios vizinhos vão permitir uma maior concentração dos serviços da instituição e das suas agências internacionais naquela zona de Lisboa.

A instalação em Portugal da sede do Imamat Ismaili foi consagrada através de um acordo, estabelecido em 2015, entre o Estado português e o Imamat Ismaili. A Câmara Municipal de Lisboa e a Direção-Geral do Património Cultural aprovaram a aquisição ao não exercerem o direito de preferência no negócio.

O edifício, de 1904, foi desenhado por Nicola Bigaglia, arquiteto, aguarelista e modelador veneziano que se radicou em Portugal, devendo o nome ao primeiro proprietário, o joalheiro José Pinto Leitão. Através da Rede Aga Khan para o Desenvolvimento (AKDN), o Imamat Ismaili é responsável por projetos de desenvolvimento social e cultural em todo o mundo, com o objetivo global de melhorar a qualidade de vida das populações.

Os ismailis são uma comunidade shia com mais de 15 milhões de pessoas, étnica e linguisticamente diversificada, residente em vários países do mundo. Na Europa, Portugal regista uma das maiores concentrações de muçulmanos ismailis com uma comunidade de 10 mil pessoas. O Inamat é a instituição ou gabinete do imã dos muçulmanos shia ismaili.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Instituição do príncipe Aga Khan comprou Palacete Leitão em Lisboa por 13,5 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião