Seguradoras europeias batem maiores bancos em dividendos

  • ECO Seguros
  • 13 Outubro 2020

Os dividendos pagos pelas maiores seguradoras não são só os mais fiáveis no setor financeiro europeu, são também mais rentáveis quando comparados aos dos maiores bancos europeus.

Embora a distribuição de dividendos esteja suspensa no setor financeiro, por recomendação expressa do Banco Central Europeu (BCE) no quadro da crise provocada pela pandemia, a retribuição prevista para os acionistas dos 10 maiores grupos seguradores apresenta rendibilidade média de 6,8% para 2020, ou 2,8 pontos percentuais por cima dos cerca de 4% previstos pelas instituições de banca, contando que o BCE levante as restrições à distribuição de lucros do setor financeiro a partir de 1 de janeiro de 2021.

Enquanto os bancos continuam condicionados na distribuição de lucros, alguns dos grandes grupos seguradores não deixaram de pagar dividendos, embora em valor reduzido ou suspendendo programas de recompra de capital, o que lhe confere alguma vantagem comparativa face ao bancos, nota o jornal espanhol El Economista acrescentando que, em termos das rentabilidades esperadas, os cinco maiores grupos seguradores cotados em bolsa (Allianz; Zurich Insurance; AXA; Prudential e Munich Re) vêm acusando perdas (-24% em média no acumulado do ano) menos acentuadas do que a desvalorização bolsista (-36%) evidenciada pelo conjunto de bancos HSBC, BNP Paribas, UBS, Intesa San Paolo e Santander.

Projetando ganhos por ação (eps) para o exercício corrente e para os próximos dois anos, os dados recolhidos pela publicação espanhola indicam que o dividendo no setor segurador terá rentabilidade em torno de 7,4% em 2021, contra 6,3% no setor bancário, podendo alcançar paridade em torno dos 8% no ano seguinte.

Reforçando a vantagem das seguradoras na retribuição aos acionistas, o dividendo não só se mantém como compromisso concreto nos planos estratégicos das instituições, como também é normalmente pago em numerário e não sob a forma de dividendos flexíveis em papel (scrip dividend) com fazem muitos bancos europeus, observa a fonte.

Concretizando, a AXA (terceira maior seguradora europeia em termos de capitalização bolsista) tem o dividendo mais rentável (8,5% sobre o exercício de 2020 e a poder chegar aos 9,5% em 2022). Para o exercício atual, embora obrigada a reduzir o pagamento para metade do previsto, a companhia francesa prometeu que o pagamento do remanescente (no último trimestre do ano) dependerá de evolução do mercado.

Com rentabilidade igualmente superior a 8%, a Swiss Re subiu o dividendo em 5% para 2020, embora cancelando o programa de share buyback (recompra de ações próprias). Em seguida, Assicurazione Generali (com rentabilidade prevista de 7,6% nos dividendos sobre lucros de 2020), Mapfre que, embora tenha pendente de confirmar poderá pagar menos 28% do que em 2019, mas ainda assim será 8,1% por cima da média europeia.

Quanto aos bancos, atingidos por “queda dramática da rentabilidade,” refere a fonte espanhola citando a Bloomberg Intelligence, estima-se que o payout ratio desça abaixo dos 50% pela primeira vez em dois anos. O Intesa San Paolo, considerado o mais rentável, cancelou o dividendo que previa pagar este ano sobre o lucro de 2019, esperando-se que volte a pagar lá para maio de 2021, com rentabilidade estimada em torno de 6,4%.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Seguradoras europeias batem maiores bancos em dividendos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião