IGCP cancela leilão de dívida. Traders falam em excesso de liquidez

Portugal previa ir ao mercado esta manhã para se financiar até 1.250 milhões de euros. IGCP cancelou operação sem adiantar razões. Operadores falam em situação de liquidez confortável.

Portugal previa ir ao mercado esta quarta-feira para se financiar até 1.250 milhões de euros, através de um duplo leilão de dívida de curto prazo, mas cancelou a operação sem que o IGCP tenha adiantado as razões para o cancelamento. Os operadores do mercado falam em excesso de liquidez.

“O IGCP confirma que o leilão de Bilhetes do Tesouro previsto no programa de financiamento para o quarto trimestre para esta quarta-feira, dia 21 de outubro, não se realizou e que o devido anúncio de cancelamento foi comunicado aos operadores de mercado na passada sexta-feira, dia 16”, adiantou a agência que gere a dívida pública em declarações ao ECO. “Este procedimento encontra-se previsto na instrução nº1/2015 e circunstâncias análogas verificaram-se no passado, concretamente em 2019″, acrescenta o IGCP, liderado por Cristina Casalinho.

Em causa estava um leilão de títulos a três e 11 meses, numa operação através da qual o IGCP previa um financiamento da República entre 1.000 milhões e 1.250 milhões de euros, conforme previa, de forma indicativa, o programa de financiamento para o último trimestre do ano.

A instrução citada pelo IGCP prevê que o calendário indicativo dos leilões a realizar possa “ser periodicamente ajustado à evolução das necessidades e à correspondente estratégia de financiamento”.

Operadores do mercado citados pela agência Reuters recordam que o recente sucesso de Portugal na emissão de dívida aos custos mais baixos de sempre poderá significar que dispõe de uma situação de liquidez confortável, razão pela qual não terá necessitado de emitir mais títulos de dívida.

De acordo com o IGCP, Portugal tem nova ida ao mercado agendada para 18 de novembro, para um duplo leilão de bilhetes a 6 e 12 meses em que prevê um empréstimo entre 1.000 milhões e 1.250 milhões de euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

IGCP cancela leilão de dívida. Traders falam em excesso de liquidez

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião