Ordem dos Advogados e BPI celebram protocolo para os profissionais do setor

O protocolo assinado entre a Ordem dos Advogados e o BPI prevê um pacote de benefícios para contas de uso particular e de firmas de advogados.

O BPI, representado pelo presidente executivo indigitado João Pedro Oliveira e Costa, e a Ordem dos Advogados (OA), representada pelo bastonário Luís Menezes Leitão, celebraram um protocolo comercial, através do qual todos os 33.500 advogados inscritos na OA irão beneficiar de condições comerciais especiais no acesso a um pacote de produtos e serviços do BPI.

Luís Menezes Leitão sublinhou o “empenho da atual direção da OA em apoiar e proporcionar aos advogados as condições necessárias ao adequado desempenho da sua atividade profissional.”

Também João Pedro Oliveira e Costa se manifestou satisfeito com a formalização do protocolo, que irá permitir aos advogados aceder a “produtos financeiros adequados às necessidades do dia-a-dia e ao apoio à gestão do seu negócio”, em condições vantajosas.

“Queremos mostrar o nosso compromisso com os advogados portugueses, assegurando que podem contar com o aconselhamento especializado dos nossos profissionais para todos os seus projetos”, notou o presidente executivo indigitado do BPI.

No âmbito do protocolo exclusivo, o BPI desenhou uma oferta de produtos e serviços ajustada às necessidades deste grupo profissional. Nesta oferta, destacam-se as condições vantajosas na adesão à Conta Valor Protocolo BPI, para uso particular, e à Conta Commerce, que conta com um pacote de serviços que cobre todas as principais operações diárias para as firmas de advogados.

Na modalidade de Conta Commerce, o BPI criou a possibilidade de acesso à abertura de uma Conta exclusiva para Associados da OA que permite a gestão e movimentação de fundos recebidos dos seus Clientes, no âmbito do exercício de uma atividade profissional – separando assim a movimentação direta do seu negócio – e sem custos de manutenção.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ordem dos Advogados e BPI celebram protocolo para os profissionais do setor

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião