Governo confirma que aumento extra das pensões até 658 euros será pago a partir de janeiro

Todas as pensões até 658 euros beneficiarão de um aumento extraordinário de 10 euros a partir de janeiro de 2021, assegurou a ministra do Trabalho.

Todas as pensões até 658,22 euros vão beneficiar de um aumento extraordinário de 10 euros a partir de janeiro do próximo ano, garantiu, esta segunda-feira, a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social. Ana Mendes Godinho veio, assim, confirmar a alteração ao Orçamento do Estado para 2021 já anunciada pelo PCP.

Na proposta de Orçamento do Estado para 2021, entregue a 12 de outubro no Parlamento, o Governo sugeriu uma atualização extraordinária das pensões até 1,5 vezes o Indexante dos Apoios Sociais (isto é, 658,22 euros), com efeitos a partir de 1 agosto. Nesse documento, o Executivo destacava que, à semelhança do que aconteceu nos anos anteriores, o reforço para as pensões que foram aumentadas entre 2011 e 2015 seria de apenas seis euros.

Esta medida acabou, contudo, por mudar de contornos, após a negociação do Governo com os partidos mais à esquerda. Na semana passada, o PCP anunciou que o Executivo se tinha comprometido a pagar o reforço de 10 euros a todas as pensões até 658 euros (mesmo às que foram aumentadas entre 2011 e 2015) a partir de janeiro.

Esta segunda-feira, a ministra do Trabalho confirmou-o. “A atualização que prevemos para 2021 é de 10 euros para todas as pensões até 1,5 IAS e a partir de janeiro“, assegurou Ana Mendes Godinho, quando questionada pelo CDS-PP sobre a discriminação das pensões aumentadas entre 2011 e 2015.

A governante avançou também que cerca de 1,9 milhões de pensionistas deverão ver as suas pensões aumentadas, por esta via, em 2021, ano em que não deverá haver aumentos pela via normal. Isto porque a inflação de 2020 deverá ficar em terreno negativo.

O Orçamento do Estado para 2021 é votado no próximo dia 28 na generalidade, estando a aprovação já garantida com a abstenção do PCP, PAN e das duas deputadas não inscritas.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo confirma que aumento extra das pensões até 658 euros será pago a partir de janeiro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião