Portugal vai atingir recorde de internamentos em cuidados intensivos. Temido admite enviar doentes do SNS para o privado

  • ECO
  • 26 Outubro 2020

"Estima-se que na quarta-feira seja ultrapassado n​​​úmero de internados em UCI registado na primeira vaga", que foi de 271 pessoas, diz Marta Temido.

Portugal tem vindo a registar cada vez mais casos de infeção pelo novo coronavírus. Atingem-se recordes de novos casos, aumentando os casos que obrigam a internamento, prevendo-se que seja alcançado um pico de internamentos em unidades de cuidados intensivos já esta semana, revela Marta Temido.

Estima-se que na quarta-feira seja ultrapassado n​​​úmero de internados em UCI registado na primeira vaga“, que foi de 271 pessoas, afirmou a ministra da Saúde em conferência de imprensa realizada horas depois de terem sido apresentados os números diários por Graça Freitas, a Diretora-Geral da Saúde.

A 4 de novembro, de acordo com cálculos dos técnicos do Instituto Ricardo Jorge, Marta Temido diz que se prevê que “estejam mais de 2.634 doentes internados em enfermaria e 444 em unidade de cuidados intensivos“. Isto se as medidas adotadas pelo Governo para travar a pandemia não surtirem o efeito desejado.

Atualmente, depois de o forte crescimento de novas infeções nas últimas semanas, Portugal conta com 1.672 pessoas internadas, sendo que há 240 nos cuidados intensivos.

Marta Temido diz que o SNS tem um total de 19.778 camas, sendo que 17.741 delas podem ser destinadas a doentes Covid-19. E que em situação de pico da pandemia, o número de camas pode atingir as 18.077.

Apesar de o SNS ter uma capacidade elástica, Temido diz que o “SNS está preparado para encaminhar os utentes que não tenham resposta no SNS para o setor privado e social”.

(Notícia atualizada às 19h54 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugal vai atingir recorde de internamentos em cuidados intensivos. Temido admite enviar doentes do SNS para o privado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião