Galp estuda produção de biocombustíveis na refinaria de Matosinhos

  • ECO
  • 27 Outubro 2020

A Galp Energia está a ponderar iniciar a produção de biocombustíveis na refinaria de Matosinhos, aumentar o coprocessamento de matérias-primas como vegetais e resíduos.

A Galp Energia está a avaliar a possibilidade de produzir biocombustíveis e de aumentar o coprocessamento de matérias-primas, como vegetais e resíduos, na refinaria de Matosinhos, de acordo com o Jornal de Negócios (acesso pago).

A empresa quer dar uma “nova vida” à refinaria, ponderando a integração de soluções para produzir produtos de baixa intensidade carbónica. A estratégia faz parte do plano de descarbonização do portefólio da petrolífera liderada por Carlos Gomes da Silva, que se viu obrigada a suspender a atividade naquela infraestrutura em meados deste mês.

A empresa esteve sob pressão na bolsa esta segunda-feira, após revelar prejuízos de 45 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, explicados também com a queda dos preços do petróleo, apesar do aumento homólogo da produção em 15,8%, para 132,5 mil barris por dia. Os títulos recuaram 4,89% em bolsa, para 7,75 euros por ação.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Galp estuda produção de biocombustíveis na refinaria de Matosinhos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião