Apple prepara motor de busca alternativo à Google

A Apple está a desenvolver um motor de busca alternativo ao da Google. Estima-se que metade do volume de pesquisas do Google seja canalizado a partir do iPhone.

O Google processa seis mil milhões de pesquisas a cada dia. Mas uma boa parte deste volume poderá estar sob ameaça de um dos próprios parceiros da multinacional: a Apple está a desenvolver um motor de busca alternativo, que poderá vir a ser a principal ferramenta de pesquisa nos dispositivos da marca que fabrica o iPhone.

A notícia foi avançada pelo Financial Times (acesso pago) e, de acordo com o jornal, a novidade poderá estar bem mais avançada do que se possa supor. Com a chegada do iOS 14, os iPhones já são capazes de processar algumas pesquisas online sem recorrer ao motor de busca da Google, uma funcionalidade introduzida de forma subtil na última atualização ao sistema operativo.

Esta novidade surge uma semana depois de o Departamento de Justiça dos EUA ter acusado a Google de proteger ilegalmente um monopólio nas pesquisas. No centro da acusação está o contrato multimilionário entre a Google e a Apple para que o Google.com seja o motor de busca predefinido no browser Safari.

Segundo estimativas da Justiça norte-americana, cerca de metade do volume de pesquisas no Google.com é canalizado a partir do iPhone por via deste contrato. Os procuradores consideram que, ao pagar cerca de 11 mil milhões de dólares por ano à Apple para ser a escolha principal nos iPhones, a Google gera receitas por via da publicidade nas pesquisas, conseguindo firmar outros contratos semelhantes com fabricantes de telemóveis, operadoras, browser e outras entidades da economia digital.

O Financial Times recorda que, há dois anos e meio, a Apple contratou John Giannandrea, um especialista em pesquisas que até então trabalhava na Google. Na altura, a contratação foi anunciada para acelerar as capacidades de inteligência artificial do assistente virtual Siri.

Apesar de algumas pesquisas da Siri ainda passarem pelo Google, o ECO confirmou que as pesquisas feitas a partir do ecrã dos widgets do iPhone já não surgem com a indicação “Google”, sugerindo que são processadas pela própria Apple. O motor de busca no topo do ecrã dos iPhones, que tem a indicação “Pesquisa”, é também capaz de sugerir termos com base no que o utilizador está a escrever, uma tecnologia popularizada no motor de busca da Google.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Apple prepara motor de busca alternativo à Google

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião