Estes são os 191 concelhos de risco elevado. Veja aqui a lista

A lista dos concelhos que têm restrições mais apertadas para travar a propagação de Covid-19 cresceu. Passou de 121 para 191.

O número de concelhos do país onde existem restrições mais apertadas, devido à maior incidência da Covid-19, aumentou. O Governo reviu em alta o conjunto esta quinta-feira, em Conselho de Ministros, com base na informação da Direção-Geral da Saúde. A lista passou então de abranger 121 concelhos para 191.

Esta quinta-feira entraram vários novos conselhos na lista de municípios considerados de elevado risco, mas também foram excluídos alguns. O critério definido para ser incluído na lista é ter mais de 240 novos casos de Covid-19 por 100 mil habitantes, sendo que, em alguns casos, poderá também ser tida em conta a densidade populacional e a dimensão territorial.

Como prevíamos dos 121 concelhos que estão abrangidos haverá alguns que deixarão de estar a partir das 00h00 de hoje. São sete concelhos no total“, começou por explicar o primeiro-ministro à saída da reunião de Conselho de Ministros, em declarações transmitidas pelas televisões.

Neste contexto, na sequência da reavaliação feita pelo Governo, além dos setes municípios que saíram entraram mais 77, elevando para 191 o total de concelhos de risco mais elevado e nos quais são aplicadas medidas mais restritivas. “A partir de segunda-feira um total de 191 concelhos estarão abrangidos pelas medidas do estado de emergência“, revelou o Chefe de Governo.

Relativamente às medidas aplicadas nestes municípios, António Costa diz que há concelhos que se mantêm na lista por estarem numa dinâmica de proximidade a concelhos de maior risco. “Não devemos transformar a exceção na regra e a adesão voluntária é que deve assegurar o cumprimento destas medidas”, referiu o primeiro-ministro, apelando para que os portugueses cumpram as regras. A regra é simples: temos de ficar em casa, as exceções que existem são exceções não podem ser regra”, aponta.

Nestes concelhos com maior nível de risco, estão em vigor medidas como a proibição de circulação em espaços e vias públicas diariamente entre as 23h00 e as 05h00, e aos sábados e domingos entre as 13h00 e as 05h00, com algumas exceções, bem como a obrigatoriedade de adoção do regime de teletrabalho.

Estes são os 7 concelhos que saem:

  1. Mesão Frio
  2. Moimenta da Beira
  3. Tabuaço
  4. São João da Pesqueira
  5. Pinhel
  6. Tondela
  7. Batalha

Estes são os novos concelhos que entram:

  1. Abrantes
  2. Águeda
  3. Albergaria-a-Velha
  4. Albufeira
  5. Alcanena
  6. Aljustrel
  7. Almeida
  8. Almeirim
  9. Alvaiázere
  10. Anadia
  11. Ansião
  12. Arcos de Valdevez
  13. Arganil
  14. Arronches
  15. Boticas
  16. Campo Maior
  17. Cantanhede
  18. Carrazeda de Ansiães
  19. Castro Daire
  20. Celorico da Beira
  21. Coimbra
  22. Condeixa-a-Nova
  23. Coruche
  24. Crato
  25. Cuba
  26. Elvas
  27. Estarreja
  28. Évora
  29. Faro
  30. Ferreira do Alentejo
  31. Figueira de Castelo Rodrigo
  32. Freixo de Espada à Cinta
  33. Grândola
  34. Ílhavo
  35. Lagos
  36. Lamego
  37. Mangualde
  38. Manteigas
  39. Mealhada
  40. Mêda
  41. Mira
  42. Miranda do Corvo
  43. Miranda do Douro
  44. Mirandela
  45. Monforte
  46. Montalegre
  47. Montemor-o-Velho
  48. Mora
  49. Murtosa
  50. Nelas
  51. Oliveira do Bairro
  52. Ourém
  53. Pampilhosa da Serra
  54. Penalva do Castelo
  55. Penamacor
  56. Penela
  57. Ponte de Sor
  58. Portalegre
  59. Portimão
  60. Proença-a-Nova
  61. Reguengos de Monsaraz
  62. Resende
  63. Salvaterra de Magos
  64. São Pedro do Sul
  65. Sátão
  66. Seia
  67. Sousel
  68. Tábua
  69. Tavira
  70. Torre de Moncorvo
  71. Vagos
  72. Vieira do Minho
  73. Vila do Bispo
  74. Vila Nova de Foz Côa
  75. Vila Nova de Paiva
  76. Vila Real de Santo António
  77. Viseu

Estes são os concelhos que se mantêm:

  1. Alcácer do Sal
  2. Alcochete
  3. Alenquer
  4. Alfândega da Fé
  5. Alijó
  6. Almada
  7. Amadora
  8. Amarante
  9. Amares
  10. Arouca
  11. Arruda dos Vinhos
  12. Aveiro
  13. Azambuja
  14. Baião
  15. Barcelos
  16. Barreiro
  17. Beja
  18. Belmonte
  19. Benavente
  20. Borba
  21. Braga
  22. Bragança
  23. Cabeceiras de Basto
  24. Cadaval
  25. Caminha
  26. Cartaxo
  27. Cascais
  28. Castelo Branco
  29. Castelo de Paiva
  30. Celorico de Basto
  31. Chamusca
  32. Chaves
  33. Cinfães
  34. Constância
  35. Covilhã
  36. Espinho
  37. Esposende
  38. Estremoz
  39. Fafe
  40. Felgueiras
  41. Figueira da Foz
  42. Fornos de Algodres
  43. Fundão
  44. Gondomar
  45. Guarda
  46. Guimarães
  47. Idanha-a-Nova
  48. Lisboa
  49. Loures
  50. Lousada
  51. Macedo de Cavaleiros
  52. Mafra
  53. Maia
  54. Marco de Canaveses
  55. Matosinhos
  56. Mogadouro
  57. Moita
  58. Mondim de Basto
  59. Montijo
  60. Murça
  61. Odivelas
  62. Oeiras
  63. Oliveira de Azeméis
  64. Oliveira de Frades
  65. Ovar
  66. Paços de Ferreira
  67. Palmela
  68. Paredes de Coura
  69. Paredes
  70. Penacova
  71. Penafiel
  72. Peso da Régua
  73. Ponte de Lima
  74. Porto
  75. Póvoa de Varzim
  76. Póvoa do Lanhoso
  77. Redondo
  78. Ribeira da Pena
  79. Rio Maior
  80. Sabrosa
  81. Santa Comba Dão
  82. Santa Maria da Feira
  83. Santa Marta de Penaguião
  84. Santarém
  85. Santo Tirso
  86. São Brás de Alportel
  87. São João da Madeira
  88. Sardoal
  89. Seixal
  90. Sesimbra
  91. Setúbal
  92. Sever do Vouga
  93. Sines
  94. Sintra
  95. Sobral de Monte Agraço
  96. Trancoso
  97. Trofa
  98. Vale da Cambra
  99. Valença
  100. Valongo
  101. Viana do Alentejo
  102. Viana do Castelo
  103. Vila do Conde
  104. Vila Flor
  105. Vila Franca de Xira
  106. Vila Nova de Cerveira
  107. Vila Nova de Famalicão
  108. Vila Nova de Gaia
  109. Vila Pouca de Aguiar
  110. Vila Real
  111. Vila Velha de Ródão
  112. Vila Verde
  113. Vila Viçosa
  114. Vizela

(Notícia atualizada)

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Estes são os 191 concelhos de risco elevado. Veja aqui a lista

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião