Impress fecha ronda de 5 milhões de euros. Portuguesa Bynd reinveste

Depois do primeiro investimento, no início do ano, a Bynd Venture Capital volta a investir na clínica ortodôntica. Através de uma app, pacientes são monitorizados 24 horas por dia.

Com vinte clínicas em Espanha e uma em Itália, a Impress chegou a Portugal em janeiro de 2020.D.R.

A Impress fechou uma ronda de cinco milhões de euros de investimento, que contou com a participação da portuguesa Bynd Venture Capital, e ainda com financiamento da TA Ventures, Sabadell VC e outros investidores.

A clínica especializada em ortodontia invisível conta com um “serviço digital de última geração” e, num ano, conseguiu escalar negócio em mais de 40 cidades de Espanha, Itália e Portugal, país onde está desde janeiro deste ano.

Liderada pelo chefe de ortodontia Khaled Kasem, membro da Sociedade Europeia de Ortodontia e com mais de 15 anos de experiência, e pelos empreendedores em série Dilara e Vladimir Lupenko, o financiamento vai servir para continuar a fazer crescer o projeto, “investindo numa maior digitalização dos processos ortodônticos” e expandindo, tanto para novas cidades nos países em que já está como para outras localizações.

“Os pacientes e o seu bem-estar são fundamentais para o que fazemos. Nunca comprometemos a saúde. Disponibilizamos aos nossos pacientes uma app que permite que a nossa equipa de médicos acompanhe a sua evolução a cada duas semanas. Através de fotografias tiradas pela pessoa, os nossos médicos conseguem ver o progresso e podem aconselhar os pacientes a irem à clínica mais próxima para receberem um tratamento médico presencial. Isto origina um resultado melhor e mais rápido, e uma necessidade de ajustes ao tratamento muito abaixo da média da indústria, que muitas vezes utiliza alinhadores adicionais para corrigir problemas quando o tratamento já deveria estar concluído”, explica Khaled Kasem, citado em comunicado.

A monitorização digital individualizada que a aplicação permite está disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana e a partir de qualquer lugar. De acordo com dados fornecidos pela empresa, mais de 70% dos pacientes da Impress terminam os seus tratamentos em apenas 6 a 7 meses, em comparação com os tradicionais 9 a 12 meses.

Esta é a segunda vez que a portuguesa Bynd investe no projeto, depois do financiamento de estreia, no início deste ano.

Francisco Ferreira Pinto, diretor executivo da Bynd Venture Capital, explica que o fundo volta a reforçar “a confiança” que tem no projeto “não só por vermos um grande potencial de mercado, mas acima de tudo por identificarmos, na sua equipa fundadora, perfis complementares e experiência na indústria dentária, em negócios digitais e na fundação de startups, e uma grande ambição de crescimento a nível europeu”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Impress fecha ronda de 5 milhões de euros. Portuguesa Bynd reinveste

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião