Fabricante suíça que vendeu comboios à CP procura parcerias com empresas portuguesas

  • ECO e Lusa
  • 17 Novembro 2020

A empresa não descartou a hipótese de construir uma fábrica em Portugal, para a produção do material circulante, mas adiantou que a decisão ainda não está tomada. 

A empresa suíça Stadler Rail, que assinou contrato com a CP para fornecer 22 comboios regionais, procura parcerias com empresas portuguesas e destaca a “competitividade do tecido empresarial” nacional e conhecimentos na área das tecnologias.

“Vemos Portugal com muitíssimo interesse. Cremos que Portugal se vai juntar a um conjunto de países europeus que vai dar preponderância à ferrovia como um sistema eco-friendly [amigo do ambiente]. O país tem uma rede empresarial muito competitiva”, afirmou esta terça-feira o presidente da Stadler Rail Espanha, Iñigo Parra, num encontro com jornalistas, em Lisboa, para dar a conhecer a empresa.

O responsável admitiu que a empresa está “ansiosa” por conhecer em detalhe o Programa Nacional de Investimentos para a próxima década, particularmente no que à ferrovia diz respeito, para poder, assim, tomar decisões quanto a projetos futuros. Iñigo Parra destacou, ainda, a indústria das tecnologias de informação (IT, na sigla inglesa) em Portugal, que, na sua ótica, tem “um know-how muito interessante”.

Quanto ao contrato para a venda de comboios à CP, assinado em 21 de outubro, o responsável não descartou a hipótese de construir uma fábrica em Portugal, para a produção do material circulante, mas adiantou que a decisão ainda não está tomada. “Está por definir a percentagem de incorporação portuguesa no projeto. […] São decisões que não são tomadas de um dia para o outro”, sublinhou, acrescentando que a Stadler fará “o que resultar melhor para o cliente”, tendo em conta que “a proximidade ao cliente final” é uma “mais valia”.

A CP – Comboios de Portugal celebrou, em 21 de outubro, um contrato para a compra de 22 comboios por um total de 158 milhões de euros, depois de o tribunal ter levantado o efeito suspensivo de um processo que impugnava o concurso.

A transportadora recordou que “o contrato inclui o fornecimento de doze Unidades Automotoras Bimodo e dez Unidades Automotoras Elétricas e respetivas peças, bem como a prestação de serviços de manutenção, preventiva e corretiva, por um período mínimo de três anos, acompanhada de serviços de formação”.

A CP prevê que a entrega da primeira unidade aconteça no final de 2024, sendo que o processo ainda terá de passar pelo Tribunal de Contas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Fabricante suíça que vendeu comboios à CP procura parcerias com empresas portuguesas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião