Em 19 dias houve mais mortes por Covid do que nos últimos cinco meses

Novembro é já o mês mais mortífero no que toca à Covid-19. Nos últimos 19 dias, já morreram 1.194 pessoas, mais do que a soma dos últimos cinco meses, que totaliza 1.097 óbitos.

A pandemia de Covid-19 não tem dado tréguas em Portugal. Se abril tinha sido o mês mais “negro” no que toca ao número de óbitos registados por Covid-19, a verdade é que novembro já ultrapassou todos os recordes. Só nos últimos 19 dias, já morreram quase 1.200 pessoas vítimas do novo coronavírus, mais do que a soma dos últimos cinco meses.

Nos primeiros 19 dias de novembro, a Direção-Geral da Saúde (DGS) contabilizou 1.194 mortes por Covid-19, superando, assim, a fasquia dos 829 óbitos registados em abril, aquele que foi considerado o pico da pandemia durante a primeira vaga e até, então, o mês mais mortífero. Em média, este mês morreram 62 pessoas vítimas do novo coronavírus, mais do dobro da média de 27 mortes por dia registada de abril. De salientar que a meio deste mês, a 16 de novembro, foi atingido um novo recorde de óbitos decorrentes da Covid-19, com 91 mortos registados num dia, superando a anterior fasquia de 82 mortes.

Mas se compararmos com os últimos cinco meses o cenário é ainda mais desolador. Entre junho e outubro, morreram 1.097 pessoas por Covid-19, ou seja, menos 97 do que nos primeiros 19 dias deste mês. Analisando unicamente estes cinco meses, o mês outubro foi responsável por quase metade dos óbitos registados (48,9%), o que permite constatar que a segunda vaga é bem mais grave do que a primeira e comprova uma aceleração dos óbitos a lamentar. Isto significa que em outubro morreram, em média, 17 pessoas por dia vítimas do SARS-CoV-2, que provoca a doença Covid-19.

Segue-se o mês junho, com 166 mortes registadas a nível nacional (em média, cinco por dia), enquanto em julho foram registados 159 óbitos (também cerca de cinco por dia) e setembro, com 149 mortes (quatro por dia). Certo é que nestes cinco meses, agosto foi o menos mais “suave”, tendo sido declarados 87 óbitos, isto é, uma média de dois por dia.

Estes dados refletem-se também no número de infetados. Em pouco mais de quinze dias, 101. 730 pessoas foram infetadas pelo novo coronavírus em Portugal, segundo o último balanço das autoridades de saúde. Neste período, em média há 5.354,2 novas infeções por dia. De referir, que esta quinta-feira, Portugal votou a registar um novo recorde no que toca aos novos casos, com 6.994 novas infeções a ser identificadas pelas autoridades de saúde nas últimas 24 horas.

Desde modo, novembro ultrapassou já o recorde registado em outubro, com 65.737 novos casos a serem identificados naquele período. Se compararmos com o mês de abril, período em que foram registados 17.249 casos, são já mais 84.481 infetados. Contas feitas, este mês houve mais do que o quíntuplo das infeções registadas em abril.

Norte com quase um terço das mortes por Covid-19

Desde que a pandemia chegou a Portugal, a 2 de março, 3.701 pessoas morreram vítimas da doença. Isto significa que quase um terço do total de mortes (32,3%) foi registo este mês. E à semelhança do que aconteceu durante a primeira vaga, a região Norte continua a ser a mais afetada pela pandemia.

Com mais de três milhões de habitantes, esta região representa cerca de um terço da população portuguesa, e em oito meses de pandemia, acumula já 1.726 óbitos por Covid-19, ou seja quase metade do total nacional (46%). Só este mês, já morreram 615 pessoas no Norte, ou seja, uma média de 32 mortes por dia.

Esta região é seguida por Lisboa e Vale do Tejo, que desde o início de março contabiliza 1.363 mortes por Covid-19, ou seja, quase 37% do total nacional. Só em novembro, morreram 371 pessoas vítimas da doença nesta região, uma média de 19 por dia.

Este mês tem sido, por isso, um mês “negro” no que toca à mortalidade causada pelo novo coronavírus em Portugal. No que toca às outras regiões, em novembro, o Alentejo contabiliza já 42 mortes (89 desde o início da pandemia) enquanto no Algarve há 12 óbitos a lamentar este mês (40 no total). Certo é que as regiões autónomas tem sido mais “poupadas” nesta segunda vaga, com a Madeira a registar dois óbitos este mês, ao passo que até à data nos Açores não foram declarados óbitos por Covid-19 este mês, tendo a região 15 mortes a lamentar desde o início da epidemia.

Na quinta-feira, na reunião do Infarmed, o epidemiologista Manuel do Carmo Gomes estimou que Portugal atinja o pico de novos casos por Covid-19 no fim de novembro, o que corresponde a uma média diária de sete mil novos casos. Quanto ao número de mortos, deverá aumentar ainda até meados de dezembro, revelou.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Em 19 dias houve mais mortes por Covid do que nos últimos cinco meses

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião