Nos dispara 13,5%, Galp e BCP ganham 6%. Lisboa em máximos de julho

Bolsas viveram dia de ganhos expressivos. Lisboa seguiu a tendência, beneficiando da forte valorização da Nos. Operadora liderada por Miguel Almeida disparou 13,5%.

Foi uma sessão de ganhos expressivos na Europa. Com a transição de poder nos EUA desbloqueada, mas também o otimismo em torno das vacinas contra a Covid-19, as praças do Velho Continente aceleraram, com Lisboa a destacar-se pela positiva. A Nos deu um forte impulso ao índice nacional ao apresentar uma subida de 13,5% num dia em que Galp e BCP somaram mais de 6%.

A perspetiva de que seja superado o impasse na administração norte-americana, depois de Trump ter dado indicações para que se avance com o processo de transição, levou os investidores a respirarem de alívio. E a indicação de Janet Yellen para a pasta do Tesouro dos EUA pelo presidente eleito Joe Biden veio dar ânimo aos mercados, antecipando mais estímulos para que a maior economia do mundo supere a crise pandémica.

Esta evolução puxou pelas bolsas dos EUA, e continua a puxar: o Dow Jones superou pela primeira vez a fasquia dos 30 mil pontos. E deu um forte impulso às praças europeias, animadas também pela perspetiva de que muito em breve poderá começar-se a vacinação contra a Covid-19. Neste contexto, o Stoxx 600 somou 0,8%, enquanto bolsas como a francesa e a britânica registaram ganhos de 1,5%.

Lisboa acabou por brilhar entre as pares europeias. A praça portuguesa somou 2,73%, para os 4.571,02 pontos, tocando assim um novo máximo desde meados de julho. Das 17 cotadas, apenas três não acompanharam a tendência positiva da sessão.

A Nos foi, de longe, a estrela. A operadora liderada por Miguel Almeida disparou 13,48% para 3,20 euros, seguindo a tendência das restantes operadoras europeias, num dia em que a Telefónica subiu 9%, a BT ganhou 4% e a Vodafone somou 2%.

Nos dispara em Lisboa

A contribuir para a forte subida da bolsa esteve também a Galp Energia, que ganhou 6,74%. A petrolífera beneficiou de mais um dia de ganhos para a matéria-prima. Ao contrário da Galp Energia, a EDP perdeu 1% e a EDP Renováveis caiu 2,84%, enquanto a Jerónimo Martins cedeu ligeiros 0,5%.

Também o BCP registou um forte ganho, encerrando a negociação a valorizar 6,03%, para os 11,95 cêntimos, seguindo a tendência positiva das últimas semanas.

Nota positiva também para as empresas do setor da pasta e papel, com a Navigator a ganhar mais de 4% — a Semapa, que controla a Navigator, subiu mais de 5% –, enquanto a Altri fechou o dia com um ganho de 8,13%, para 4,47 euros.

(Notícia atualizada às 16h55 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Nos dispara 13,5%, Galp e BCP ganham 6%. Lisboa em máximos de julho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião