S&P 500 abre em recorde. Moderna sobe 12% com a vacina

As bolsas norte-americanas abriram em forte alta e o S&P 500 negoceia em recorde. A farmacêutica Moderna destaca-se com um ganho de quase 12%, por causa do pedido de aprovação da vacina.

As bolsas norte-americanas abriram em alta, negociando perto de máximos históricos numa altura em que os investidores estão mais otimistas face à pandemia. A Agência Europeia do Medicamento confirmou esta terça-feira ter recebido pedidos de aprovação de duas vacinas contra a Covid-19, da Pfizer e da Moderna, esperando-se decisões ainda este ano.

O S&P 500 abriu em recorde e ganha 1,2%, para 3.663,32 pontos, enquanto o industrial Dow Jones valoriza 1,1%, para 29.976,62 pontos. O tecnológico Nasdaq soma 0,9%, para 12.308,34 pontos. Wall Street beneficia de uma subida nas ações das empresas mais castigadas pela pandemia, com os investidores a anteciparem o início do fim da crise da Covid-19.

Os ganhos acontecem também num dia em que os investidores vão estar atentos à intervenção do presidente da Fed, Jerome Powell, no Senado dos EUA. O líder da Reserva Federal deverá alertar os senadores para os riscos do ressurgimento da Covid-19, mas não se espera quaisquer sinais sobre mudanças na política monetária, estando a próxima reunião agendada para dias 15 e 16 de dezembro.

As ações da Tesla estão em destaque na bolsa. Os títulos somam 2,85%, para 583,6 dólares cada, depois de a S&P Dow Jones ter confirmado que a empresa será adicionada a 21 de dezembro ao S&P 500 de uma vez, ao contrário de em duas parcelas, como era pedido por alguns gestores de ativos. Fundos de investimento passivos que seguem o índice deverão canalizar centenas de milhares de milhões de dólares para adicionarem a Tesla aos respetivos portefólios.

A Moderna soma 11,62%, para 170,49 dólares por ação, depois de empresa ter pedido aprovação para a sua vacina experimental contra o novo coronavírus também na União Europeia.

A Apple impulsiona as bolsas norte-americanas com um ganho de 3,07%, para 122,69 dólares, enquanto o Zoom derrapa 12,99%, para 416,89 dólares, face às perspetivas de desconfinamento e regresso ao trabalho presencial.

Por fim, uma última nota para o preço da bitcoin. A criptomoeda atingiu um novo máximo histórico na segunda-feira, mas corrige agora 6,3%, caindo para 18.157,38 dólares cada moeda.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

S&P 500 abre em recorde. Moderna sobe 12% com a vacina

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião