5 coisas que vão marcar o dia

Num dia de menor liquidez nos mercados, poderá haver novidades do Brexit e dos estímulos nos EUA.

A véspera de Natal é um dia, tipicamente, mais calmo para investidores e empresas. No entanto, este ano poderá não ser assim, com as negociações tanto para o acordo do Brexit como para novos estímulos orçamentais nos EUA na reta final. Nas bolsas, a sessão é a meio gás, enquanto, na pandemia, há novo estado de emergência e recolher obrigatório com horário alargado.

Recolher obrigatório alargado até às 2h

Na véspera de Natal, e tal como acontece no dia 25 de dezembro, o habitual recolher obrigatório é alargado até às 2h00, nos concelhos de risco “elevado”, “muito elevado” e “extremo” de transmissão do novo coronavírus, onde vigoram limitações à circulação na via pública. Ao mesmo tempo, também há um alargamento dos horários para o setor da restauração, com estes espaços a poderem receber clientes até à 1h00 nessas duas noites.

Começa novo estado de emergência

As medidas específicas para o Natal suspendem as restrições que estavam em vigor, mas ainda assim arranca esta quinta-feira novo estado de emergência, que se prolonga até 7 de janeiro. Ou seja, na prática, as restrições aplicam-se apenas a 27 de dezembro. Há 30 concelhos considerados de risco “extremo”, isto é, que têm uma taxa de incidência de casos de Covid-19 superior a 960 por cada 100 mil habitantes no acumulado dos últimos 14 dias, revelam os dados da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Bolsas fecham mais cedo

Os investidores vão celebrar o Natal e o dia é mais curto para as bolsas europeias. Com vários índices — incluindo o PSI-20 — a fecharem às 13h, este será um dia de liquidez mais reduzida. Numa época em que o “rally” do Pai Natal costuma deixar valorizações acionistas no sapatinho dos investidores, este ano não desiludiu, graças aos estímulos monetários e orçamentais bem como à expectativa face ao sucesso das várias vacinas contra a Covid-19. Depois desta quinta-feira, as bolsas voltam na terça-feira para uma nova semana com apenas duas sessões e meia.

Acordo no Brexit pode estar próximo

A Comissão Europeia e o Reino Unido poderão estar próximos de alcançar um acordo para o Brexit. A notícia foi avançada esta quarta-feira pela RTE News, que apontava para a véspera de Natal como data indicativa para um acordo. Este já virá, ainda assim, fora de tempo dado que os dois lados extrapolaram o prazo. O Reino Unido abandonou a União Europeia a 31 de janeiro, tendo entrado em vigor medidas transitórias que caducam a 31 de dezembro. O acesso dos navios de pesca da União Europeia a águas britânicas é um dos grandes entraves a um acordo.

EUA negoceiam novos estímulos

O Senado norte-americano está a tentar aprovar um pacote de emergência com 2,3 biliões de dólares (1,8 biliões de euros) em financiamento público até setembro de 2021, mas a proposta foi rejeitada pelo Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que pediu mudanças na proposta de lei. A presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, anunciou que os democratas não estão contra as alterações pedidas e incentivou que o acordo seja fechado até ao meio da véspera de Natal.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

5 coisas que vão marcar o dia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião